Fogos em Monção e Vila Real dominados. Três incêndios "significativos" continuam ativos em Portugal

Os incêndios mais "significativos" até às 19h00, de acordo com a Proteção Civil, encontravam-se ativos em Vila Real (Mesão Frio), no Porto (Paredes) e em Rio Maior (Arrouquelas).

O Comandante Nacional da Proteção Civil, André Fernandes, atualizou, esta segunda-feira, os dados relativos aos incêndios em Portugal Continental.

Até às 19h00, foram registadas 78 ocorrências, com o Porto a destacar-se como o distrito com maior número de ignições, com 29. Seguia-se Braga (dez), Vila Real (dez), Lisboa (nove) e Viseu (oito). No total dos últimos três dias, contando com o último sábado e domingo, a Proteção Civil recebeu o alerta de 274 ignições.

Até ao momento da conferência de imprensa, André Fernandes mencionou três incêndios "significativos", em Vila Real (Mesão Frio), no Porto (Paredes) e em Rio Maior (Arrouquelas)

As frentes de Vila Real (Samardã) e Monção foram "dominadas", mas fazem parte das "20 ocorrências" em fase de resolução, mas "com número significativo de meios" para evitar reativações. Até às 19h00, encontravam-se no terreno 1310 operacionais e oito aeronaves.

O objetivo é, de acordo com André Fernandes, "aproveitar a janela noturna para estabilizar os incêndios".

O Governo anunciou, esta segunda-feira, que não vai prolongar a situação de alerta devido aos incêndios que atingem Portugal continental.

Após reunião, que começou às 19h00 e contou com a presença do ministro da Administração Interna e da secretária de estado da Proteção Civil, a decisão foi anunciada numa conferência de imprensa.

"É expectável que a partir de quarta-feira as temperaturas voltem a descer até aos 35º. Também se prevê um aumento a humidade que é um fato muito positivo que pode varia em mais 30% e nas zonas do litoral pode chegar ao 80%. O que significa um quadro como não tínhamos desde o início desta fase dos incêndios florestais", explicou o ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, em conferência de imprensa.

Nesse sentido, o ministro anuncia: "Em função deste quadro de melhoria, entendemos que era possível aliviar as restrições de prevenção aos incêndios rurais e decidimos não prolongar a situação de alerta que vai terminar às 23h59 de amanhã [terça-feira]."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de