Greve da CP sem serviços mínimos. Já foram suprimidos 43 comboios

Paralisação da CP vai afetar viagens ao longo de todo o dia. Clientes que já tenham bilhetes são aconselhados a pedir reembolso ou revalidação para nova data.

Até às 12h00 desta quinta-feira foram suprimidas 43 ligações de comboio por causa da greve dos trabalhadores da CP - Comboios de Portugal. Deviam ter circulado 549 comboios em todo o país, mas só cumpriram o trajeto 506.

O último balanço aponta para 13 comboios Urbanos do Porto suprimidos e 29 comboios regionais, sendo 15 de supressões parciais, isto é, de parte do trajeto.

No Alentejo foi também suprimido o Intercidades que fazia a ligação entre Beja e Casa Branca.

Em declarações à TSF, José Manuel Oliveira, coordenador da Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (FECTRANS) diz que a paralisação está a causar vários constrangimentos.

Devido à paralisação de 24 horas dos trabalhadores da CP são esperadas perturbações durante todo o dia e também durante as primeiras horas de sexta-feira.

A greve foi convocada pelo Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Setor Ferroviário (SNTSF), da CGTP, não tendo sido decretados serviços mínimos pelo Tribunal Arbitral do Conselho Económico e Social.

Aos clientes que já tenham bilhetes adquiridos para viajar em comboios dos serviços Alfa Pendular, Intercidades, Interregional e Regional, a CP permitirá o reembolso, no valor total do bilhete adquirido, ou a sua revalidação, sem custos, acrescenta.

Em comunicado, a CP diz ainda que lamenta os incómodos causados aos seus clientes, recomendando a obtenção de informação sobre o estado da circulação de comboios, através do contacto com os canais de informação da empresa.

O pré-aviso de greve emitido pelo SNTSF abrange todos os trabalhadores da CP e da IP.

Está ainda marcada uma concentração para hoje de manhã, em frente ao Ministério das Infraestruturas, em Lisboa, em protesto contra "11 anos sem aumento".

Os trabalhadores do setor ferroviário e das infraestruturas ferroviárias e rodoviárias reivindicam aumentos salariais para todos, a redução do horário de trabalho para as 35 horas, o trabalho com direitos, o respeito pela contratação coletiva, a redução da idade de reforma e a melhoria do serviço público prestado.

Esta semana, o Sindicato Independente Nacional dos Ferroviários suspendeu a greve parcial convocada para começar na terça-feira depois do Governo se ter comprometido a voltar à mesa das negociações.

Notícia atualizada às 12h00

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de