Governo admite "aligeirar controlos fronteiriços" a partir de 15 de junho

Eduardo Cabrita falou, em Vilar Formoso, sobre a reposição das fronteiras.

O ministro da Administração Interna admitiu, esta sexta-feira em Vilar Formoso, abrandar as medidas de controlo das fronteiras a partir de 15 de junho. Eduardo Cabrita revelou que as autoridades portuguesas vão aligeirar o controlo, que será feito maioritariamente à distância, através de drones e aplicações.

"Vamos, gradualmente, aligeirar os controlos fronteiriços. As fronteiras estão sob controlo até dia 15 de junho, mas vamos estabelecendo mecanismos de circulação que permitam aos nossos emigrantes a circulação durante os próximos meses de julho e agosto. Temos de permanecer, com firmeza, a consolidar os resultados positivos que temos vindo a registar", explicou Eduardo Cabrita.

Este abrandamento das medidas vai ser possível devido aos resultados positivos do desconfinamento que, segundo o ministro, permitem também "olhar para um verão com emigrantes em Portugal".

"Para nós a prioridade é a circulação dos nossos cidadãos, que vêm do resto da Europa, querem vir passar o verão a Portugal e animar a economia local, com salvaguarda da saúde pública", afirmou o ministro da Administração Interna.

Eduardo Cabrita não deixou de saudar as forças de segurança nacionais por fiscalizarem os veículos de mercadorias de forma rápida nas fronteiras. Algo que não acontece em todos os países da União Europeia.

"Tivemos cerca de 200 mil veículos de mercadorias fiscalizados nos diversos pontos de passagem e nunca esperaram mais de 15 minutos. A prioridade têm sido os trabalhadores transfronteiriços, que trabalham num lado e residem no outro", acrescentou Eduardo Cabrita.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de