"Matar o mensageiro não é solução em democracia." Jornalistas respondem a Rio

O Conselho Deontológico do Sindicato dos Jornalistas aponta que é do dever dos jornalistas informar, e que essa obrigação está acima de outro tipo de leis ou autoridades.

Está no ADN dos jornalistas divulgar informação. É este o comentário de São José Almeida, presidente do Conselho Deontológico do Sindicato dos Jornalistas à proposta de Rui Rio de fazer cumprir uma punição para os repórteres que violem o segredo de justiça.

No debate da rádio entre os líderes dos seis partidos com assento parlamentar, o líder do PSD defendeu que não deve haver exceções a esta regra. No entanto, São José Almeida sublinha que, "para um jornalista, o dever de informar é superior ao respeito da lei de segredo de justiça".

"Estando confirmado, e tendo convicção o jornalista, tem a obrigação de dar a notícia", reforça, em declarações à TSF.

São José Almeida vai mais longe, e afirma mesmo que esta é uma "questão muito complexa". A presidente do Conselho Deontológico do Sindicato dos Jornalistas aponta a contradição patente nesta penalização: "Porque se questionam os jornalistas que divulgam a informação e não se questionam as fontes? Os jornalistas não adivinham, recebem informações."

"Querer matar o mensageiro nunca foi boa solução em democracia", remata, portanto, a representante do Sindicato dos Jornalistas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de