Matrículas: fazer o velho parecer novo pode sair caro

Polícia de Segurança Pública (PSP) pede aos proprietários dos veículos mais atenção no momento de comprar a nova chapa.

Se antes do novo formato de matrículas, nem sempre as regras eram cumpridas, agora o problema persiste e a mudança que muitos condutores estão a fazer, para que o velho pareça novo, acaba por resultar em multas.

O subintendente Virgílio Sá, do departamento de operações da direção nacional da PSP, explica à TSF que nem sempre as regras são cumpridas por quem vende e instala as chapas e, por isso, aos proprietários dos veículos pede-se que olhem com atenção para o que estão a comprar.

A maior responsabilidade pelo cumprimento da lei, na opinião do subintendente da PSP "será dos vendedores ou manipuladores de chapas de matrículas porque eles sabem as regras". No entanto, cabe ao proprietário do veículo verificar se está tudo conforme a lei, lembrando Virgílio Sá que " a coima recai sobre o proprietário do veículo".

O subintendente da PSP esclarece que o fabricante tem de ter licença do IMT - Instituto da Mobilidade e dos Transportes - para fazer as chapas de matrícula e todas as chapas têm de ter uma marca de homologação. Depois, adianta o subintendente Virgílio Sá, existem os manipuladores que fazem a inscrição nas chapas do número de matrícula.

Se o condutor recorrer a um fabricante que não cumpre as regras corre o risco de ser autuado e o valor das coimas vai de 120 euros a 600 euros.

Quem fabrica e instala as chapas de matrículas está também sujeito a multas, neste caso a fiscalização é feita pela ASAE - Autoridade de Segurança Alimentar e Económica.

Pelos dados da PSP, até julho foram multados 1405 condutores e as infrações são muitas. Desde o facto dos números ou letras já não serem visíveis, o espaçamento entre letras e carateres não ser o que está definido ou o material não ser retrorrefletor, impossibilitando a sua visualização. A maior parte das infrações foram cometidas nos distritos de Setúbal, Lisboa, Porto, Faro e Évora.

Mudanças à la carte

Ao mudar o formato de matrícula do antigo para o novo são cometidos muitos erros.

O subintendente Virgílio Sá adianta que muitas vezes "vê-se a matrícula como era anteriormente e só lhe retiram os espaços". Também "há muita gente que começa a colocar os carateres na chapa de matrícula à esquerda, outros da direita para a esquerda", esquecendo-se que os carateres devem ser outros do meio para os extremos".

O subintendente da PSP explica ainda que o espaço que vai ficar ocupado dentro da chapa de matrícula é variável, depende da letra. O "W" ocupa mais espaço que o "I" , por exemplo.

"O preocupante é que as matrículas não estão centradas"

O importante é que os condutores verifiquem se na chapa de matrícula, números e letras estão bem centrados e se o espaçamento é feito do centro para os extremos. Muito importante também é verificar se o distanciamento entre letras e carateres está de acordo com as regras.

Dando exemplos de outros erros que são cometidos, Virgílio Sá afirma que "há pessoas que, para que toda a chapa de matrículas fique ocupada, deixam espaços enormes entre grupos ou deixam espaços enormes entre letras ou entre carateres", lembrando que "há distâncias que estão definidas".

A matrícula "tem de estar centrada quer na vertical quer na horizontal" e a "distância entre grupos de letras é de dois centímetros e a distância entre carateres é de um centímetro, a contar do centro para os extremos".

Nas novas matrículas foi eliminado o ano e o mês de fabrico do veículo e deixou de haver os traços de separação entre os grupos de letras ou números.

As novas matrículas são constituídas por dois grupos de letras e um grupo de algarismos no centro.

Segundo o Instituto da Mobilidade e dos Transportes, desde 3 de março, o número de matrículas no novo formato emitidas para veículos ligeiros importados e novos já ultrapassa as 105 mil.

O total de matrículas emitidas no novo formato ultrapassa os 138 mil. Este número inclui todo o tipo de veículos, tais como ciclomotor, ligeiro, pesados, motociclos, entre outros.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de