"Ministério da Saúde tem de ouvir as propostas dos enfermeiros"

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses quer consciencializar a população para os problemas no setor.

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) quer que a população seja confrontada com os reais problemas dos enfermeiros. Com cartazes e folhetos, o SEP marcou um encontro na Praça 8 de Maio, em Coimbra.

Em plena pandemia, Paulo Anacleto, dirigente do sindicato, diz que o Ministério da Saúde tem de passar das palavras aos atos.

"Nós queremos ver atos concretos, traduzidos na lei. Nós temos muitos trabalhadores precários com vínculo por regular, queremos compensação pelos nossos riscos diários e a valorização dos enfermeiros especialistas que ainda não detêm a categoria por causa das instituições e do ministério da saúde", revela.

Paulo Anacleto refere ainda que o Ministério da Saúde tem de estar aberto às propostas do sindicato, de forma a encontrar soluções para os problemas que os enfermeiros "querem resolver".

O dirigente sindical diz que além dos cartazes será distribuída documentação à população de Coimbra para que todos saibam de que forma trabalham os enfermeiros.

"Temos um conjunto de cartazes com os problemas diversos. São cartazes gigantes para que as pessoas percebam os problemas reais dos enfermeiros. Estamos ainda a entregar à população um comunicado com os problemas que queremos ver tratados e resolvidos com o Governo".

Paulo Anacleto refere que o objetivo do sindicato é que a população perceba que não é só bater palmas e fazer elogios. "Nós temos de ter os problemas concretos resolvidos", lembra.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de