Novo plano para fase mais crítica entra em vigor à meia-noite. Saiba o que muda

Já há transmissão comunitária em Portugal. A DGS e o Governo anunciaram novas medidas para estancar o contágio nesta fase mais crítica.

A fase mais crítica chegou. Foi António Sales, secretário de Estado da Saúde, que o vaticinou. A fase de mitigação, ou seja, o período em que não mais se conhece quem transmitiu (o novo coronavírus) a quem, colocará em marcha um novo plano já a partir da meia-noite.

"Estamos em fase 3.2, em fase de mitigação. Às 00h00 haverá um novo plano, com medidas de mitigação e não de contenção." As palavras da diretora-geral da Saúde dão conta de que, às 00h00 de dia 26 de março, entrará em vigor um plano para fazer face a esta nova fase de combate.

Para António Sales, "o SNS vive e viverá para além da Covid-19", não entrará em colapso. Para Graça Freitas, "a fase de transição pode trazer alguma turbulência".

Há aspetos que serão alterados. Graça Freitas refere que os doentes continuarão a ser sobretudo seguidos em casa. Um grupo de pacientes com sintomas um pouco acima dos ligeiros pode ir a um centro de saúde, onde haverá uma área apenas dedicada à Covid-19. Poderá ser eleito um centro de saúde por região para o circuito da Covid-19, acrescenta a diretora-geral da Saúde.

Já os doentes com sintomas mais graves serão encaminhados pela linha SNS 24 para um hospital, onde serão recebidos por um médico que decidirá sobre a possibilidade de internamento. Este procedimento será aplicado ao setor público, privado e social.

A oferta de testes será a partir de agora alargada. Os lares, onde se verificam, de acordo com a DGS, situações que inspiram preocupação, passam a poder recorrer a laboratórios privados, mas não são os únicos. A proximidade passa a pesar para a decisão de testar no público ou no privado.

Quanto às instituições que recebem idosos, Graça Freitas explica que o que deve ser feito é separar, se possível, os casos positivos dos casos negativos. Quando não for possível fazê-lo em lares, serão tomadas outras medidas, adianta a representante da autoridade sanitária.

A testagem está também a acelerar, refere o secretário de Estado da Saúde.Há uma encomenda de 80 mil testes que ainda não chegou. Os testes chegarão até ao final da semana, uma semana "esticada" pelos duros dias do combate à pandemia, diz António Sales, que prevê que até domingo cheguem os kits de rastreio.

A capacidade diária é já de seis mil testes diários, assegura o secretário de Estado.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de