Num mês, Portugal teve quase tantos infetados como em sete meses

Outubro quase quadruplicou o número de idosos com Covid-19 na comparação com setembro, mas é nos adolescentes que a pandemia mais cresce.

Em apenas um mês, outubro, Portugal teve quase tantos diagnósticos de Covid-19 como nos sete meses anteriores, de março a setembro. Apesar de grandes diferenças, o acelerar da doença tem atingido todas as faixas etárias.

Desde o início de março até 30 de setembro, a pandemia tinha atingido, com casos diagnosticados, 75.542 portugueses. Só em outubro esse número chegou aos 65.737 o que significa, no total, um aumento de 87% em apenas 31 dias.

Na divisão por idades o grupo etário dos 10 aos 19 anos é claramente aquele onde o aumento tem sido mais expressivo, mais do que duplicando em apenas um mês. No final de setembro o país registava 4.216 jovens com estas idades que tinham sido contagiados, número que chegou aos 10.199 no final de outubro (+142%).

Com um aumento de 98% segue-se o grupo etário dos 20 aos 29 anos, sendo que nas idades mais novas, abaixo dos 10 anos, a subida foi, em outubro, muito mais moderada: 87%.

Nos mais velhos os números podem ser vistos pelos ângulos do copo meio vazio ou do copo meio cheio. Por um lado, os idosos são os grupos etários onde a pandemia menos cresceu em outubro.

Mais 82% de casos dos 60 aos 69 anos; mais 75% dos 70 aos 79 anos; e mais 58% acima dos 80 anos; ou seja, em todos os casos anteriores, abaixo da média nacional de outubro.

O problema é que os números também revelam que em todas as idades anteriores a progressão tem sido igualmente muito grande, atingindo pessoas de maior risco, por norma mais frágeis.

Setembro tinha contado 1.217 doentes com mais de 80 anos, número que quase quadruplicou em outubro para 4.407, enquanto dos 70 aos 79 anos a tendência foi semelhante (1.106 para 3.821), tal como dos 60 aos 69 (1.696 para 6.134).

A Covid-19 tem aumentado a um ritmo mais acelerado nas idades mais novas, mas esse crescimento também tem sido muito expressivo nas mais velhas.

A mortalidade, também tem subido bastante, batendo máximos diários em dois dos últimos três dias, mas esse ritmo de aumento ainda não é tão elevado como os contágios pois normalmente os casos fatais tendem a crescer com alguns dias de atraso.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de