Em três semanas, "quadruplicou" número de internados Covid no Curry Cabral

Diretor do serviço de infecciologia, Fernando Maltez, considera, em declarações à TSF, que o número de internados está a atingir "um patamar preocupante" em Lisboa.

O diretor do serviço de Infecciologia do Hospital Curry Cabral, em Lisboa, considera que o número de internamentos por Covid-19 está a atingir um patamar preocupante na capital. Em declarações à TSF, Fernando Maltez adianta que, nas últimas semanas, o Centro Hospital da Capital teve de alargar mesmo o número de camas disponíveis para receber os utentes.

"O serviço de doenças infecciosas está neste momento a ser pressionado, com maior número de doentes a requerer internamento, com necessidade de maior número de camas disponíveis. Isso está se a verificar, não só em termos de enfermaria, mas também em unidade de cuidados intensivos", refere Fernando Maltez.

"Tivemos de aumentar o número de camas disponíveis para receber estes doentes. Presumo o que estará a passar no resto dos hospitais de Lisboa será semelhante", alerta.

O infecciologista diz que os internados estendem-se por várias idades e a maior parte ainda não tinha sido vacinado contra a Covid-19. Fernando Maltez explica que, em apenas três semanas, o número de internamentos quadruplicou. "Há duas, três semanas, teríamos internados seis, sete doentes. Neste momento, temos à volta perto de 30 doentes internados. Temos desde os 30, 40 anos até um doente com 100 anos, a que já demos alta. Maioritariamente, são pessoas não vacinadas, há alguns doentes que já teriam feito a primeira toma da vacina, mas em que se admite que a infeção estaria no seu período de incubação", explica o médico do Hospital Curry Cabral.

O diretor do serviço de infecciologia deixa ainda um alerta, questionando se este aumento no número de internamentos em Lisboa impõe um recuo no plano de desconfinamento.

"Estamos a assistir, de facto, que os números sobem diariamente. Numa semana, duplicámos o número de casos diários e, portanto, temos de pensar se não temos de ser mais rigorosos no que diz respeito ao desconfinamento. Teremos de pensar se o ideal é mantermos a fase em que estamos ou retrocedermos em alguns nos passos que já demos", afirma Fernando Maltez.

Nas últimas 24 horas, uma pessoa morreu e as autoridades de saúde registaram mais 519 novos contágios, sendo que mais de metade, foram detetados na região de Lisboa e Vale do Tejo.

Na quarta-feira, o Governo confirmou que, face à situação de agravamento da pandemia, Lisboa não avançará no plano de desconfinamento em curso.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de