Pela primeira vez a irmã Maria do Céu não está em Fátima

Todos os anos a irmã Maria do Céu está em Fátima para acolher em sua casa peregrinos. Hoje está longe do Santuário, diz que este dia é um marco na história e como cristã.

É a primeira vez que a irmã Maria do Céu não está em Fátima para assistir às celebrações. "Temos pena mas o Santuário está completamente vazio, queríamos muito ir mas não podemos. O sentimento é de tristeza mas serve para reforçar mais a fé e pensar no que esta mensagem nos quer dizer", conta.

Todos os anos passa as celebrações do 13 de maio em Fátima, para acolher os peregrinos e este ano não seria diferente. "Iríamos ter a casa cheia, tínhamos 22 pessoas que iam ficar na nossa casa".

Por causa da pandemia os peregrinos foram obrigados a alterar os planos. Confessa que o sentimento de ausência é muito forte. "Fica um marco muito profundo tanto no nosso coração como na nossa história como cristã".

A irmã Maria do Ceú recorda o olhar dos peregrinos quando chegam ao Santuário, acredita que estes dias têm o poder de reforçar a fé. "O que vemos nos peregrinos é o olhar fixo em Maria, naquela imagem... que é de alguém que os leva ao transcendente, é de uma aproximação com algo que lhe fala e transforma as vidas. Vêm para casa mais repletos e preenchidos".

Esta noite vai acender uma vela e acompanhar as cerimónias à distância.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de