Politécnicos pedem aposta na ação social e digitalização no ensino superior

Propostas do institutos superiores politécnicos para o Plano de Recuperação e Resiliência passam, por exemplo, por um maior financiamento das residências para estudantes.

Os institutos politécnicos enviaram ao Governo um dossiê com várias ideias para aperfeiçoar o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). Pedro Dominguinhos, presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP), explica à TSF que não se trata de reivindicações, mas sim de propostas.

Uma das ideias mais prementes do documento é o reforço da ação social no ensino superior, com regras para a habitação social que sejam semelhantes às dos municípios.

"Está prevista a possibilidade de construção de residências para o ensino superior ou a recuperação de alguns edifícios. A nossa proposta vai no sentido de reforçar este valor e, sobretudo, garantir o financiamento a 100% (...), bem como o reforço da ação social, que é essencial para garantir o aumento da qualificação", refere Pedro Dominguinhos.

O Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos pede também um reforço do apoio informático para o ensino superior.

"Entendemos que o programa digital na educação deve ser alargado ao ensino superior, porque ainda subsistem problemas de conectividade em várias regiões do país", defende Pedro Dominguinhos, que aponta que também "a inovação pedagógica carece de uma aposta na digitalização, para chegar a outros públicos, designadamente a população ativa".

O Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos defende ainda "mais qualificação" nas áreas da saúde e da administração pública.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de