Portugal só vai receber metade das vacinas da AstraZeneca previstas para fevereiro e março

Há mais um atraso no plano de imunização contra a covid-19. Nenhuma farmacêutica está a cumprir aquilo que foi calendarizado.

É considerada decisiva para acelerar a vacinação dos portugueses contra a covid-19, mas a chegada a Portugal da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford com a farmacêutica AstraZeneca sofreu um percalço.

A TSF sabe que o anúncio feito esta sexta-feira pela sede da empresa de atrasos na produção significa que o país só vai receber em fevereiro e março cerca de 700 mil vacinas das 1,4 milhões previstas.

Sem adiantar números, o coordenador da equipa que está a gerir o plano nacional de vacinação contra a covid-19 confirma, no entanto, que foram recentemente informados pela AstraZeneca de dificuldades e atrasos no calendário de entrega, algo que "não compromete a execução do plano de vacinação, mas impede uma maior rapidez que todos gostávamos de ter".

Francisco Ramos tem dito que a aprovação da Agência Europeia do Medicamento (EMA) e chegada desta vacina da AstraZeneca a Portugal será decisiva para acelerar o processo, algo que mantém, mas estes percalços obrigarão, naturalmente, como refere à TSF, a rever o calendário, o que acaba por ser uma má notícia.

Se tudo correr como previsto e a vacina da AstraZeneca for aprovada até ao final de janeiro, Portugal deve chegar a fevereiro com três tipos de vacinas - da Pfizer, Moderna e Astrazeneca -, algo que, segundo o coordenador do plano, será uma boa notícia.

Francisco Ramos acrescenta que todas as empresas estão com dificuldades em cumprir os prazos de entrega previstos, registando-se atrasos.

Depois da Pfizer, a AstraZeneca será o segundo maior fornecedor de vacinas para Portugal. Inicialmente, antes desta revisão em forte baixa, estava planeada a recepção de 700 mil vacinas desta empresa em fevereiro e outras 700 mil em março.

Recorde-se que a farmacêutica britânica AstraZeneca informou esta sexta-feira a Comissão Europeia de que não vai ser capaz de distribuir todas as doses nos prazos acordados.

Um porta-voz da empresa confirmou à agência de notícias Reuters que a culpa é de uma menor capacidade de produção do que aquilo que estavam à espera.

Segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS), até agora foram administradas pouco mais de 200 mil vacinas em Portugal contra a covid-19, havendo cerca de 25 mil pessoas com as duas doses.

O plano de vacinação começou a ser executado a 27 de dezembro e tem avançado a conta-gotas, à medida que as doses vão chegando ao país.

De acordo com o plano inicial, se Portugal recebesse as 1,4 milhões de doses de vacinas da AstraZeneca, Portugal devia vacinar por semana, em fevereiro, entre 150 mil a 200 mil pessoas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de