Acesso às praias será diferente do habitual devido à pandemia
Covid-19

Posso ir à praia? Sim, mas é melhor ler este texto primeiro

Desde semáforos para saber a ocupação até às regras de distanciamento físico na areia. Eis as regras de acesso às praias a partir de 6 de junho.

A partir de dia 6 de junho, os portugueses que quiserem ir à praia aproveitar o sol vão ter de respeitar uma série de regras devido à pandemia. Tal como já tinha sido avançado pelo PAN , após a reunião com o primeiro-ministro em São Bento, vão ser instalados nas praias semáforos de acesso que vão indicar o estado de ocupação do areal.

Semáforos e a app para saber a ocupação da praia

Quando o sinal estiver a verde, a ocupação estará a um terço da capacidade máxima; o sinal amarelo terá uma ocupação elevada, a dois terços e a vermelho, a ocupação será "plena", como revela o Governo em comunicado.

À distância, os portugueses vão poder saber qual é a ocupação das praias. O Governo vai para isso servir-se da app "infopraia" com informação contínua, em tempo real. Estes dados estarão disponíveis no site da Agência Portuguesa do Ambiente.

"Sei que me vão perguntar: então e quem fiscaliza? Nós temos de ser os fiscais de nós próprios. Não é possível viver férias ou estar na praia com um polícia ao lado de cada um de nós. As forças de segurança e armadas têm missões próprias que devem cumprir e as praias, como sempre foram devem ser espaços de lazer. E para podermos descansar na praia temos de estar descansados e para estar descansados temos de estar em segurança", refere o primeiro-ministro, António Costa.

"Não nos devemos meter em cima dos outros, não podemos deixar que os outros se coloquem em cima de nós e devemos manter o distanciamento necessário", disse.

Distanciamento de 1,5 metros

Nas praias, será exigido o distanciamento físico de 1,5 metros. Haverá também a obrigação de haver um distanciamento de três metros entre chapéus-de-sol, toldos ou colmos. O Governo indica que vão ser "interditas as atividades desportivas com duas ou mais pessoas (exceto as atividades náuticas, aulas de surf e desportos similares).

Mas, regressando ao areal, haverá regras na atribuição e ocupação dos toldos, colmos e barracas. "Em regra, cada pessoa ou grupo só pode alugar de manhã (até 13h30) ou tarde (a partir das 14h)", lê-se no comunicado do Conselho de Ministros, que acrescenta que só será permitido "um máximo de cinco utentes por toldo, colmo ou barraca".

A quem não respeitar estas regras de contenção do novo coronavírus nas praias, o Governo avisa que há a "possibilidade de interdição da praia, por motivo de proteção da saúde pública, em caso de incumprimento grave das regras pelas concessionários ou pelos utentes".

Gaivotas e escorregas interditos

Pedalar nas gaivotas ou usar escorregas na areia não será boa ideia porque estarão interditos. A medida consta no conjunto de regras que o Governo delineou para o acesso às praias. Os chuveiros interiores também serão proibidos.

Já no que diz respeito ao exterior, as espreguiçadeiras, os colchões, os cinzeiros e os chuveiros exteriores "terão de ser higienizados diariamente ou no final de cada utilização".

O Governo recomenda ainda que sejam evitadas as praias com "ocupação elevada ou plena".

É possível apanhar Covid-19 na praia?

Como relembra a DGS, pode contrair-se o novo coronavírus se se estiver exposto, por contacto direto, à tosse ou espirros de uma pessoa infetado ou através das gotículas presentes nas superfícies.

É por isso que as autoridades sanitárias recomendam o respeito pelas regras, como o distanciamento físico, limpeza constante das mãos com sabão ou álcool, etiqueta respiratório e utilização de máscara, quando for obrigatório.

Já no que diz respeito à água do mar, a DGS lembra que "nem a água do mar nem a água das piscinas são veículos de transmissão do vírus", pelo que não constituem um risco.

"A praia, em si, também não oferece um risco particular", garante o primeiro-ministro. Tendo em conta as diferentes utilizações das praias, "é essencial" garantir a proteção de cada um.

Estacionamento ordenado

"As forças de segurança serão muito rigorosas na fiscalização do estacionamento", alerta Costa.

Está interdito o estacionamento fora dos parques e zonas de estacionamento ordenado nas praias.

Há também a "possibilidade de interdição da praia, por motivo de proteção da saúde pública, em caso de incumprimento grave das regras pelas concessionárias ou pelos utentes", de modo a "evitar ajuntamentos".

"Se cada um cumprir a sua parte, o acesso às praias será feito em liberdade", para as férias que "o país merece", garante o primeiro-ministro.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de