Presidenciais. Exceção ao voto exclui lares de idosos

A única possibilidade é o voto antecipado a 17 de janeiro.

Não será possível levar mesas de votos aos idosos em lares. A sugestão foi feita por algumas associações de apoio a lares e idosos depois da Comissão Nacional Eleitoral (CNE) ter contactado autarquias e juntas de freguesia para serem criados corredores de segurança de forma a levar idosos às mesas de voto em horas de menos afluências às urnas.

O porta-voz da CNE, João Tiago Machado, explica que a lei não permite, nem essa hipótese foi colocada quando o parlamento fez uma revisão da lei devido à pandemia. "Houve uma alteração legislativa recente que permitiu que votos sejam recolhidos ao domicílio das pessoas que estejam confinadas, mas os lares ficaram completamente de fora", sustenta.

João Tiago Machado da CNE considera que a melhor forma de evitar concentração de pessoas é votar antecipadamente é inscrever-se, entre os dias 10 e 14 de janeiro, no site da secretaria-geral do ministério da Administração Interna e votar no dia 17 de janeiro. "Se se inscrever para votar no dia 17 e não comparecer, poderá ir votar no dia 24 de janeiro ao local onde sempre votou", acrescenta.

João Ferreira de Almeida da Associação de Lares de Idosos sublinha que, na prática, o incentivo aos idosos nos lares para votar não terá grandes efeitos. Até porque "antes da pandemia já era muito residual e penso que continuará a ser", refere.

João Ferreira de Almeida entende não é necessário mais indicações por parte da Direção Geral da Saúde para o voto dos utentes nos lares e relembra que "a indicação que há para quando os idosos têm que sair do lar por menos de 24 horas é que não é necessário fazer teste nem ficar em isolamento."

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de