Presidente da Câmara de Vinhais pede abertura temporária das fronteiras

Luís Fernandes admite que o encerramento das fronteiras na zona da Galiza tem dado prejuízos aos trabalhadores e à economia da região.

O presidente da Câmara de Vinhais pede a abertura das fronteiras, pelo menos, durante algumas horas por dia. Ouvido esta manhã no Fórum TSF, Luís Fernandes admite que o encerramento tem causado prejuízos a muitos trabalhadores e à economia da região da Galiza.

"A nossa reivindicação em relação à questão da fronteira de abrir nem que fosse temporariamente digamos durante algumas horas do dia é porque estamos a falar de um concelho que tem em comum aqui com a região da Galiza várias atividades, sobretudo a nível económico", explica.

Luís Fernandes afirma que "há vários trabalhadores transfronteiriços que estão impedidos também de se deslocar ou têm que fazer grandes distâncias, o que torna a vida muito difícil e alguns deles sujeitos até a perder empregos porque não se podem deslocar".

O pedido do presidente da Câmara de Vinhais é que sejam criadas "condições para duas horas por dia ou quatro horas por dia, abrir uma fronteira que permitisse que, no aspeto económico, estes concelhos da Raia não fossem ainda mais afetados do que infelizmente são por toda esta pandemia".

Também no Fórum TSF desta manhã, a Associação Nacional de Restaurantes defende a revisão das regras de takeaway, de modo a que os estabelecimentos possam lidar melhor com o encerramento forçado pela pandemia da Covid-19.

Esta terça-feira, mais de duas centenas de pessoas assinaram uma carta aberta que defende o regresso ao ensino presencial e a reabertura de algumas escolas a partir do início de março. A missiva é subscrita por professores, economistas, cientistas, médicos, psicólogos, pediatras, epidemiologistas e gestores, entre outros.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de