Quase metade dos portugueses esperam confinamento até à Páscoa

Maioria dos inquiridos na sondagem da Aximage para a TSF, JN, DN considera o atual período de restrições mais difícil de suportar do que o confinamento do ano passado.

Uma sondagem da Aximage para a TSF, o JN e o DN indica que mais de metade dos portugueses consideram que o Governo não tomou as medidas necessárias para enfrentar a terceira vaga da pandemia de Covid-19.

Apesar de afirmarem que o Executivo estava mais preparado do que os cidadãos em geral - 39% de preparação do Governo e 26% de preparação dos cidadãos -, os inquiridos neste estudo apontam falhas na ação, especialmente quanto à demora na implementação de medidas restritivas (47% em fevereiro contra 38% em novembro), adoção de medidas demasiados leves (24% contra 22%) e reforço de meios humanos no Serviço Nacional de Saúde (15% contra 10%).

Os mais críticos da preparação do Governo são os eleitores do Bloco de Esquerda, Iniciativa Liberal e PSD. Os que mais dizem que o Executivo estava preparado são os eleitores do PS.

Convidados a avaliar a evolução da pandemia nos últimos meses, 41% dos inquiridos responderam que Portugal tem lidado mal ou muito mal com a situação.

Quanto ao confinamento, mais de metade (52%) considera que, desta vez, está a ser mais difícil ou muito mais difícil do que em março do ano passado. No entanto, 80% dos inquiridos defendem que o confinamento deve ser prolongado até 15 de março e quase metade acredita que a ordem para ficar em casa vai durar até à Páscoa.

Metade dos inquiridos mostra-se preocupada com os efeitos da pandemia sobre a economia e o emprego, 30% revelam maior preocupação com a saúde física e 19% dizem estar mais preocupados com o bem-estar físico e emocional. Os mais preocupados com economia e emprego são o grupo dos 35 aos 49 anos e os eleitores dos partidos de direita.

Convidados a fazer uma autoavaliação sobre o impacto da pandemia nas suas vidas, quase 60% dos inquiridos disseram que a Covid-19 teve um impacto grande ou muito grande ao nível da saúde e no seu bem-estar emocional e psicológico.

A pandemia veio alterar a vida de 87% das pessoas e é uma preocupação para 92% dos inquiridos. Em cada cem entrevistados, cinco disseram estar pouco, nada ou quase nada preocupados com a Covid-19 em Portugal e no Mundo.

Neste momento, 86% dos portugueses já conhecem alguém que tem ou teve Covid-19. Este valor duplicou em quatro meses. Em outubro, apenas 48% da população conhecia alguém com a doença.

O que também quase duplicou foi o número dos que dizem que o risco de contraírem Covid é baixo. Talvez por estarem em casa, confinados, 68% dos inquiridos dizem que a possibilidade de contrair a doença é baixa ou muito baixa.

Ficha Técnica

A sondagem foi realizada pela Aximage para a TSF, o JN e o DN, com o objetivo de avaliar a opinião dos Portugueses sobre temas relacionados com os efeitos da pandemia e medidas de confinamento.

O trabalho de campo decorreu entre 17 e 20 de fevereiro. Foram recolhidas 822 entrevistas entre maiores de 18 anos residentes em Portugal. Foi feita uma amostragem por quotas, com sexo, idade e região, a partir do universo conhecido, reequilibrada por sexo e escolaridade.

À amostra de entrevistas, corresponde um grau de confiança de 95% com uma margem de erro de 3,4% A responsabilidade do estudo é da Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direção técnica de José Almeida Ribeiro.

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de