"Rebuliço nas ruas." Autarca de Castro Daire apoia cordão sanitário no concelho

Paulo Almeida lamenta que a população não esteja a cumprir as restrições.

O presidente da câmara municipal de Castro Daire pede ao Governo que imponha um cordão sanitário no concelho devido ao número crescente de casos de Covid-19, que constitui o pior caso no distrito de Viseu.

À TSF, Paulo Almeida admitiu que a situação está a começar a ficar fora de controlo e "começa a apresentar contornos alarmantes".

Os casos passaram de 64 para 72 entre esta quarta e quinta-feira, sendo que a autarquia ainda aguarda o resultado de 160 testes.

"Ontem parecia um dia normalíssimo, com rebuliço enorme nas nossas ruas", lamenta o autarca, que revela que há casos confirmados cuja origem "já não se consegue perceber".

Por tudo isto, explica, "somos a favor de medidas restritivas, nomeadamente o cerco sanitário, por forma a conter a evolução dos casos" no concelho.

Muitos dos casos estão a surgir em lares, mas o autarca está frustrado com os esforços no terreno, que não têm convencido a população de que é melhor não sair de casa.

"Parece-me que existe a ideia de que as coisas estão a ficar resolvidas no nosso país", comenta Paulo Almeida. Para o autarca, a ideia de que "Portugal é um exemplo" e que "as coisas estão controladas" é um "erro": "As coisas não estão controladas e, provavelmente, está a transmitir uma imagem às pessoas que lhes permite algum facilitismo na abordagem ao que estamos a viver."

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou perto de 866 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 43 mil.

Em Portugal, segundo o balanço feito pela Direção-Geral da Saúde esta quinta-feira, registaram-se 409 mortes até ao momento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de