Reportagem TSF vence Prémio APAV. Ouça o trabalho "As cartas que nunca escrevi"

A reportagem "As cartas que nunca escrevi" sobre violência doméstica, da autoria da jornalista Sara de Melo Rocha, com sonoplastia de Luís Borges, foi escolhida de forma unânime pelos membros do júri do Prémio.

A reportagem, "As cartas que nunca escrevi. Os silêncios das sobreviventes da violência doméstica", foi distinguida com o Prémio APAV para o Jornalismo 2021.

O trabalho da jornalista Sara de Melo Rocha visita uma das oficinas de escrita autobiográfica que todas as semanas se realizam na Covilhã. O projeto Rasgar Silêncios explora o papel libertador da escrita para mulheres que um dia foram vítimas de violência doméstica. Ainda que comecem a recuperar a vida normal, as cicatrizes que a violência deixa são difíceis de apagar e a escrita pode ajudar a chegar às memórias mais silenciadas.

O júri destacou que este trabalho "apresenta uma estética que chega a remeter para algo quase ficcional, embora não seja, dando espaço à força da voz e da palavra das próprias intervenientes. Marca pela diferença na sua apresentação e na forma como oferece ao ouvinte uma narrativa em várias vozes. É ainda de salientar o facto de que este trabalho foi desenvolvido fora de um grande centro urbano, demonstrando a importância do jornalismo local e provando que em qualquer lugar há uma história para se contar."

O Prémio APAV para o Jornalismo tem um valor monetário de 1500 euros, patrocinado pelo El Corte Inglés, sendo ainda atribuído um troféu da autoria do designer Gonçalo Falcão. O trabalho vencedor pode ser consultado aqui.

A entrega do prémio será esta segunda-feira, 8 de novembro, às 18h00, na sala de Âmbito Cultural do El Corte Inglés.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de