Terminal do Barreiro já não vai avançar. Governo trava obra que violava leis ambientais

Sedimentos contaminados com mercúrio, arsénio, zinco, cobre, chumbo e compostos orgânicos poderiam afetar gravemente o ambiente aquático.

O Ministério das Infraestruturas e da Habitação adiantou à TSF que vai respeitar o parecer desfavorável da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e que não avançará com a construção do terminal de contentores do Barreiro.

A APA deu parecer negativo ao futuro Terminal do Barreiro, uma das maiores obras públicas previstas para os próximos anos em Portugal, prioritária para o Governo e fundamental para evitar que a região da capital chegue a 2025 ou 2026 sem espaço para mais contentores.

Os documentos consultados pela TSF explicam que, na decisão da APA, estão em causa impactos significativos nos sistemas ecológicos, em violação do Regime jurídico da Reserva Ecológica Nacional.

A APA defende que as medidas de mitigação previstas para resolver os problemas ambientais "não são verdadeiras medidas de mitigação", estando longe de ser suficientes. A avançar como está projetado, o futuro Terminal do Barreiro viola, inclusive, a Diretiva Quadro da Água e a Lei da Água.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de