400 manifestantes contra o fascismo, 40 a homenagear Salazar. Dois protestos à chuva

A chuva intensa que caiu na capital esta sexta-feira não impediu centenas de pessoas de sair à rua - umas contra o fascismo, outras por António de Oliveira Salazar.

Debaixo de chuva e granizo, ao som de tambores e trovões, dois grupos de pessoas muito diferentes manifestaram-se esta sexta-feira em Lisboa.

Do Rossio ao Largo de Camões, 400 pessoas juntaram-se para uma ação contra o fascismo, apoiada por seis dezenas de associações e coletivos, recordando vítimas do racismo e da repressão.

Já entre o Largo do Rato e a Assembleia da República, cerca de 40 pessoas prestaram homenagem a António de Oliveira Salazar.

A primeira iniciativa terminou quando a Estátua de Camões ficou envolvida numa faixa vermelha com as palavras "não esquecemos, não perdoamos". Uma homenagem a Alcindo Monteiro, o português de origem cabo-verdiana que em 1995 foi morto por espancamento no Bairro Alto por um grupo de Skinheads.

Do grupo fazia parte Mário Machado, que cumpriu cinco anos de prisão e criou agora o movimento Nova Ordem Social, que também esta sexta-feira marcava presença na homenagem a Salazar.

Porque "o tempo da democracia está a andar para trás", a Plataforma Antifascista de Lisboa já anunciou que vai organizar mais manifestações em breve.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de