Campo das Cebolas vai ter nome de Nobel. E a polémica está instalada

Se costuma passar pelo Campo das Cebolas, em Lisboa, a partir desta segunda-feira vai começar a passar pelo Largo José Saramago. A zona requalificada recebeu o nome do Nobel português e a decisão está a gerar controvérsia.

O Campo das Cebolas, em Lisboa, zona que abriga a célebre Casa dos Bicos, sede da Fundação José Saramago, vai mudar de nome. Ou melhor, já mudou. A partir desta segunda-feira passa a chamar-se Largo José Saramago, em homenagem ao escritor, quando se assinalam os 20 anos da entrega do Prémio Nobel da Literatura ao português.

«Largo José Saramago. Escritor, Prémio Nobel da Literatura 1998», lê-se naquela que é a mais controversa das placas recentemente instaladas na capital portuguesa.

"Alterar a designação do Campo das Cebolas é um mau serviço à cidade e um mau serviço ao próprio José Saramago", contesta João Pedro Costa, vereador do PSD na Câmara Municipal de Lisboa, que votou contra a alteração do nome.

"Um mau serviço à cidade porque os topónimos históricos devem ser mantidos nos costumes das pessoas, e um mau serviço a José Saramago, porque este espaço vai continuar a ser designado por «Campo das Cebolas»", explica o vereador social-democrata, apontando como exemplo o espaço conhecido por todos como «Rossio», que, oficialmente, tem outro nome. "Ninguém designa [o Rossio] como «Praça D. Pedro IV», apesar de este ter sido uma grande figura da História de Portugal", reforça João Pedro Costa.

O PSD lamenta que não tenha havido diálogo entre os diferentes partidos com assento na Câmara Municipal de Lisboa para arranjar outra solução.

Do lado oposto está a Comissão Municipal de Toponímia, que não vê problema algum na mudança.

"Há uma carência de espaços novos para dar designações e aquilo que aqui se faz é fazer corresponder um local nobre da cidade de Lisboa, recentemente qualificado, com a designação de alguém que não só foi Prémio Nobel como, ainda por cima, foi presidente da Assembleia Municipal de Lisboa", responde o socialista Pedro Delgado Alves.

O representante da Comissão Municipal de Toponímia lembra que o mesmo processo já foi feito recentemente com a Fundação Champalimaud, a Praça Mariano Gago (junto ao Pavilhão do Futuro, no Parque das Nações) e com um troço da Segunda Circular, que passou a chamar-se «Avenida Eusébio da Silva Ferreira».

"As pessoas usarão a designação que entenderem para o espaço", o que não inviabiliza "a homenagem que a cidade presta a José Saramago", salienta Pedro Delgado Alves.

Já a Fundação do Nobel português diz-se "muito tranquila" em relação à polémica.

"Com a importância que José Saramago tem - a obra que nos deixou, o seu pensamento e as suas palavras -, estamos em crer que, com o tempo, as pessoas acabarão por passar a utilizar a denominação de "«Largo José Saramago»", afirmou Sérgio Machado Letria, o diretor da Fundação.

Até porque, nota, a morada não muda. "A morada da Fundação José Saramago continua a ser na Rua dos Bacalhoeiros, n.º10. Mas se as pessoas começarem a enviar correspondência para o Largo José Saramago, acho que acabará por vir cá ter", conclui, excluindo a Fundação da polémica.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de