SEF

CDS: demissão da diretora do SEF "é um verdadeiro saneamento político"

O líder parlamentar do CDS diz que Luísa Maia Gonçalves foi demitida por não concordar com a lei da imigração.

A diretora do SEF demitiu-se depois de ter sido chamada para uma reunião com a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa.

PUB

Num comunicado enviado esta noite às redações, o Governo explica que Constança Urbano de Sousa tinha a intenção de afastar Luísa Maia Gonçalves, que acabou por se adiantar, apresentando a demissão. O Governo não revela o motivo dessa decisão.

O líder parlamentar do CDS, Nuno Magalhães, fala em saneamento político e diz que a diretora do SEF foi demitida por não concordar com a lei da imigração.

"É um verdadeiro saneamento político. Sabemos que há ano e meio esta diretora tomou posse e no discurso, a senhora ministra, que hoje diz que a senhora diretora não cumpriu com os objetivos, reconheceu-lhe mérito e experiência profissional. O que mudou de então para cá? A diretora ter alertado, e bem, tal como o CDS, a senhora ministra para uma irresponsabilidade política que estava a fazer, que era aprovar uma lei de imigração que teria, como infelizmente teve, uma óbvia chamada dos pedidos de visto para o nosso país".

Nuno Magalhães fala num erro político e por isso quer ouvir com urgência no parlamento a ministra e Luísa Maia Gonçalves.

"Estamos a falar de uma ordem de grandeza para cima de 10 mil pedidos de vistos que entupiram os serviços desde que a senhora ministra, em nome da sua sobrevivência política, resolveu ceder às tentações do Bloco de Esquerda, desautorizando os serviços e a diretora que nomeou, aceitando a alteração da lei de imigração em que basta uma promessa de trabalho para dar um visto. Mais uma vez a senhora ministra deu provas que a ministra não tem condições para continuar no lugar".