Ligação Seixal-Lisboa foi interrompida. Polícia intervém depois de invasão de barco

Barco já seguiu viagem, depois de ter sido chamado outro navio para reforçar a ligação Seixal-Lisboa.

Dezenas de pessoas invadiram esta manhã um barco da Transtejo, que devia fazer a ligação Seixal-Lisboa, tendo a embarcação estado impedida de sair, por excesso de passageiros, durante cerca de uma hora.

"Houve alguns passageiros que, insatisfeitos com o horário, invadiram o navio. Nessa situação, o mestre fica impossibilitado de sair em direção a Lisboa, pelo que o navio está com passageiros a mais, no terminal do Seixal, e será necessário retirar alguns passageiros do navio, para que se possa fazer a viagem", revelou à TSF Marina Ferreira, presidente do Conselho de Administração da Transtejo, que descreve um "ambiente tenso" na embarcação.

Na origem da situação está o facto de a ligação entre o Seixal e Lisboa estar a ser feita, desde domingo, por um único navio - devido a uma avaria na hélice de um dos navios que habitualmente faz este percurso. Prevê-se que a situação só estará normalizada na próxima quinta-feira.

A Polícia Marítima teve de deslocar-se ao local para "tentar acalmar os ânimos das pessoas, que queriam ir trabalhar e não conseguiam porque o barco não podia sair por excesso de pessoas", revelou fonte da Polícia Marítima.

Um passageiro do barco disse à agência Lusa que as pessoas entraram pela zona de saída da embarcação, que faz a ligação Seixal-Lisboa, recusando-se a sair.

Outro passageiro contou que chegou à estação fluvial do Seixal antes da 7h45, que o barco das 8h10 foi suprimido e quando chegou a embarcação das 8h30 já estavam pessoas de dois barcos no seu interior.

Entretanto, o barco já seguiu viagem para Lisboa. Marina Ferreira revelou que foi desviado um barco da rota Cacilhas - Cais do Sodré para reforçar a ligação Seixal-Lisboa.

"Estando a terminar a hora de ponta em Cacilhas, retirámos um navio da ligação de Cacilhas para ir buscar passageiros ao Seixal e, assim, minimizar um pouco os atrasos", adiantou Marina Ferreira.

Notícia atualizada às 10h15

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de