Lisboa

Escritórios da Segurança Social vão ser transformados em casas a preços baixos

Conheça os prédios nas freguesias do Areeiro, Avenidas Novas, Alvalade e Santo António, em Lisboa. Rendas entre 200 e 600 euros.

O Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e a Câmara de Lisboa assinam esta segunda-feira um acordo de cedência de onze prédios para arrendamento abaixo dos valores de mercado.

Os onze prédios, que são hoje usados como escritórios, serão adaptados para habitação e ficam localizados no centro de Lisboa, estando até agora ocupados com serviços da Segurança Social que serão centralizados até ao final do ano num edifício comprado em junho na Avenida 5 de Outubro, com o objetivo de melhorar a qualidade do serviço.

Fonte do ministério adianta à TSF que as regras da boa gestão obrigam a rentabilizar os espaços que ficarão livres, mas sem entrar em especulações imobiliárias, pelo que a meta é seguir uma das promessas do Governo: alargar a oferta de habitação a preços acessíveis.

Ao todo serão cedidos à autarquia 500 fogos que serão alvo de obras de adaptação, no valor de 23 milhões de euros.

No fim, a meta é alugar 250 apartamentos em dez prédios, mais 226 quartos para estudantes numa residência na Alameda D. Afonso Henriques com 43 quartos simples e 183 duplos.

As primeiras casas serão entregues em 2019 e as últimas em 2020.

Romão Lavadinho diz que este é um sinal de que finalmente começaram a ouvir as reivindicações de quem tem rendimentos médios e não consegue viver na capital.

T0 a T4 com rendas de 200 a 600 euros

Ao contrário de outros programas destinados a quem tem baixos rendimentos, tipo habitação social, os prédios agora cedidos pela Segurança Social terão rendas acessíveis mas destinam-se às classes médias, ou seja, famílias com rendimentos médios que, como explica Fernando Medina, terão de se candidatar a um sorteio.

Para poder ter direito às casas e entrar no concurso, as famílias terão de ter uma taxa de esforço com a renda que não ultrapasse os 30%, ou seja, mensalmente o valor da renda não deve ultrapassar os 30% dos seus rendimentos.

Os onze imóveis ficam situados nas seguintes moradas:

Freguesia de Santo António:

Rua Rosa Araújo, nº 43 - Torneja Rua Mouzinho Silveira, nº 3B

Freguesia das Avenidas Novas:

Av. Visconde Valmor, nº 48 a 48B

Freguesia do Areeiro:

Alameda D. Afonso Henriques, nº 82 - 82A

Av. Manuel da Maia, nº 40 a 40D

Av. da República, nº 4

Av. Estados Unidos América, nº 39 - 39 A

Freguesia de Alvalade:

Av. Estados Unidos América, nº 37

Av. da República nº 102

Av. da República nº 106

Av. da República nº 100

Campo Grande nº 6, 6A, 6B e Rua Entrecampos nº 57

  COMENTÁRIOS