Aviação

Há 50 anos a ver os aviões no Museu do Ar

Abriu portas em 1968, é considerado um dos melhores museus de aviação do mundo. O Museu do ar quer "continuar a aumentar o número de visitantes e preservar o património e a história da aeronáutica".

O ministro da Defesa, José Azeredo Lopes, presidiu à cerimónia do 50º aniversário do Museu do Ar.

Para assinalar a data, no primeiro fim de semana de maio vão realizar simulações de voo, a 2ª edição do Flight Sim, que "procurará reunir todos os entusiastas da simulação, incluindo o controlo de tráfego aéreo, dando a conhecer as novidades do mercado, quer em termos de software quer em termos de equipamentos", explica o Coronel Rui Roque, diretor do Museu. .
Ainda no âmbito das comemorações dos 50 anos, o Museu do Ar junta-se à Noite Europeia dos Museus.

A instituição, que pertence à Força Aérea, à TAP e à ANA, tem a sede em Sintra, mas o museu tem polos em Alverca e em Ovar. Com um espólio de mais de 10 mil peças, desde aeronaves a hélices, simuladores, motores, fardamentos, entre muitos outros. O Coronel Rui Roque sublinha que podem ser encontradas aeronaves históricas, "algumas são réplicas mas outras foram recuperadas. Os técnicos da Força Aérea recuperam as aeronaves num trabalho diário de restauro".

Para o futuro, o Coronel Rui Roque diz que o objetivo passa por "continuar a aumentar o número de visitantes e preservar o património e a história aeronáutica e pô-la à disposição do público".