Incêndios

Incêndio na serra de Sintra dominado

O incêndio que deflagrou no sábado na serra de Sintra e que se alastrou a Cascais, no distrito de Lisboa, foi dado como dominado às 10h50, confirmou à TSF a Proteção Civil.

* Notícia atualizada às 12h50 com declarações da Proteção Civil

O incêndio que deflagrou no sábado na serra de Sintra e que se alastrou a Cascais foi dado como dominado cerca das 10h50 deste domingo.

Ouvido pela TSF, o oficial de operações da Autoridade da Proteção Civil, comandante Paulo Santos, adiantou que ainda existem alguns "pontos quentes" que vão exigir a atenção dos operacionais no terreno mas a situação está agora mais calma que durante a noite e madrugada.

A entrada em ação dos meios aéreos ao início da manhã contribuiu para a evolução favorável do combate às chamas, bem como a diminuição da intensidade do vento e o facto de as chamas terem avançado para zonas de mais fácil acesso.

O comandante Paulo Santos lembra a importância do trabalho de rescaldo que vai ser feito ao longo do dia mas admite a possibilidade de reacendimentos, mais para o final da tarde, tendo em conta as previsões de um aumento da intensidade do vento e subida da temperatura.

O comandante Paulo Santos adiantou que algumas das pessoas retiradas de suas casas durante a noite já estão a regressa às suas habitações mas não avançou números.

Segundo o oficial de operações, o trabalho durante a noite foi "muito difícil" devido ao vento "muito forte", tendo sido registadas rajadas de vento de 100 quilómetros por hora em alguns locais do teatro de operações.

Também a redução da visibilidade dos profissionais, o facto de terem de trabalhar em segurança e de "muitas vezes terem de deixar os trabalhos de consolidação do incêndio para defender as habitações, que estão muito dispersas na floresta", contribuíram para que o trabalho durante a noite "tivesse sido muito difícil".

O incêndio obrigou à retirada de 300 pessoas do parque de campismo de Cascais e de 47 de várias localidades em toda a área do incêndio, como Biscaia, Figueira do Guincho, Almoínhas, segundo o comandante distrital de Lisboa da ANPC, André Fernandes.

Dezoito pessoas ficaram feridas ligeiramente, nove dos quais eram bombeiros, que foram "assistidos no local e que já regressaram ao teatro de operações", disse André Fernandes às 09h00 deste domingo no 'briefing' da Proteção Civil.

O fogo foi dado como dominado cerca de 12 horas depois de ter deflagrado na zona da Peninha, tendo alastrado ao concelho de Cascais, num combate às chamas muito dificultado pelos ventos, que chegaram a ter rajadas de 100 quilómetros por hora.

Segundo a informação publicada no site da Autoridade nacional da Proteção Civil (ANPC), atualizada às 11h18, o incêndio estava a ser combatido por 611 operacionais, 181 meios terrestres e cinco meios aéreos.

  COMENTÁRIOS