Óbito

Morreu Stephen Hawking, o cientista que desafiou o universo com humor

O físico britânico morreu esta quarta-feira, aos 76 anos.

"A vida seria trágica se não fosse divertida". As palavras são de Stephen Hawking, o cientista que desafiou o universo e a vida com um sentido de humor ímpar. O físico britânico morreu esta quarta-feira, em Cambridge, aos 76 anos.

Foi pelo trabalho desenvolvido na área da relatividade e dos buracos negros que Stephen Hawking se destacou. O físico de voz mecânica, desafiou todas as probabilidades de uma doença que não lhe dava mais de dois anos de vida e tornou-se um dos maiores cientistas do século XX.

Nome grande da ciência, mas também um exemplo de vida. Diagnosticado aos 21 anos com Esclerose Lateral Amiotrófica, os médicos deram-lhe pouco tempo para viver. O físico ultrapassou todas as expectativas e não desistiu. Casou, teve três filhos, continuou a estudar e a questionar o universo até aos últimos dias de vida.

A doença degenerativa levou-o a uma cadeira de rodas e, anos mais tarde, em 1985, uma pneumonia danificou as cordas vocais e impediu-o de voltar a falar. Uma vez mais, Hawking deu a volta: através de um software e de um sintetizador ganhou uma voz de volta. "O sintetizador dá-me um sotaque americano", dizia.

Foi autor do best-seller "Uma Breve História do Tempo" (vendeu mais de 25 milhões de cópias) e conseguiu aproximar o grande público da ciência.

Hawking era quase uma rock star, com fãs que ultrapassavam os apaixonados por ciência. Dono de um fino sentido de humor, quebrou o estereótipo do cientista recolhido e inacessível, com aparições frequentes ao público.

Foi personagem de "Star Trek", os "Simpsons" e interpretou por diversas vezes o papel de si próprio na "Teoria do Big Bang", uma série televisiva de comédia que acompanha o dia-a-dia de um grupo de cientistas.

E quantos cientistas terão feito anúncios? Hawking sim. A marca? Jaguar.

Em 2014, James Marsh levou às telas de cinema a história da vida do mais famoso cientista de sempre com "A Teoria de Tudo". O filme resulta de uma adaptação do livro "Viagem ao Infinito - a extraordinária história de Jane e Stephen Hawking", escrito pela ex-mulher, Jane Wilde Hawking.

Esta quarta-feira, a família comunicou a morte de Stephen Hawking através de um comunicado. "Era um grande cientista e um homem extraordinário, cujo trabalho e legado viverão por muitos anos. A sua coragem e persistência, junto com a sua genialidade e humor, inspiraram pessoas de todo o mundo".

"Ele disse um dia: 'Este não seria um grande universo se não fosse a casa das pessoas que amamos'. Vamos sentir a falta dele para sempre", lembraram os filhos.

Stephen Hawking nasceu a 8 de janeiro de 1942. Coincidência, o mesmo dia em que morreu Galileu.

O físico morreu esta quarta-feira, 14 de março. Coincidência, o mesmo dia em que nasceu Einstein.

  COMENTÁRIOS