O "dolce far niente" de umas férias a bordo do histórico paquete Funchal

Embarcação foi comprada por ingleses por 3,9 milhões de euros. Vai agora ser transformada num hotel. As memórias de quem viajou a bordo do histórico Funchal.

O paquete Funchal vai para o estrangeiro, onde será transformado em hotel, mas as memórias ficam em terras lusas. Exemplo disso é o de Luís Miguel Correia, antigo passageiro do paquete, que recordou à TSF qual era a sensação de embarcar no Funchal.

"Era pertencer a um clube de elite. O Funchal fazia, todos os anos, em agosto, um cruzeiro de verão a partir de Lisboa. As 300 ou 400 pessoas que iam eram sempre as mesmas famílias com os filhos, os pais, víamos os miúdos crescerem. Era uma espécie de clube que só se via nas férias de verão, era muito engraçado. É um mundo que desapareceu porque estes cruzeiros agora são gigantescos, com cinco ou seis mil pessoas, ninguém se conhece."

As viagens que o paquete fazia eram variadas, mas Luís Miguel Correia recorda um dos percursos, que percorria o Mediterrâneo de uma ponta à outra em 20 dias.

"Passámos por Israel, Egito, Ilhas Gregas, Sicília, Itália, andávamos por todo o lado. Era o chamado dolce far niente. Era como se fosse um iate em que as pessoas tinham as férias descansadas, a preços relativamente acessíveis, não era um navio muito caro mas tinha um ambiente exclusivo."

Quem fica com memórias do Funchal não é só quem embarcou nele como passageiro, mas também quem lá trabalhou. Há momentos em que ambas as realidades se cruzam, como explica este antigo passageiro.

"Tenho uma filha com 28 anos que fez o primeiro cruzeiro com cinco anos de idade fez a primeira viagem do Funchal. Há um ano estava no cais a olhar para o navio, chega-se ao pé de mim um senhor e pergunta pela Inês. Tinha sido o camaroteiro - o empregado do nosso camarote - em 1995. Lembrava-se do nome da minha filha, imagine o que era um tratamento personalizado destes. 23 anos depois perguntou-me como é que a menina estava. É um mundo que desapareceu."

Esta quarta-feira soube-se que o paquete Funchal está de partida. Foi comprado por ingleses que o vão transformar num hotel.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de