Os miúdos não vão abandonar o "playground" físico

Rui Prada, professor de Engenharia Informática, acredita que as crianças vão continuar a brincar no espaço público.

A tecnologia não desumaniza. É essa a convicção de Rui Prada, professor de Engenharia Informática, que dá o exemplo de uma grande plataforma digital. "O grande ponto forte [do Facebook] é o fator humano, de ligar pessoas, de permitir às pessoas comunicar. E as brincadeiras também são parte disso, servem para ligar pessoas, para comunicar, também podem passar por essas redes e frameworks sociais. Eu acho é que não se vai abandonar o espaço público, o playground físico que os miúdos adoram, ainda adoram e vão continuar a gostar; vão ter é outras coisas novas para fazer."

Para este professor, que coordena a especialização em jogos no Mestrado de Engenharia Informática do Instituto Superior Técnico, o futuro passa pela existência de elementos digitais ao lado dos baloiços ou dos escorregas nos jardins infantis.

Seja como for, Rui Prada defende que é importante combater o atual sedentarismo das crianças que ficam dias inteiros agarradas aos tablets e aos telemóveis, "talvez porque ainda estão muito maravilhadas com as possibilidades que o mundo digital nos traz". Mas esta é uma realidade que, acredita o professor, vai mudar num futuro próximo. "Quando o mundo digital começar a existir noutros espaços e permitir que eles fantasiem noutros espaços como fantasiam num jogo, eu acho que eles vão voltar a adorar o espaço físico", afirma Rui Prada.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de