Os Mochileiros na estrada. Astúrias e uma praia "com o mar nas nossas costas"

A TSF segue os trilhos dos Mochileiros Carolina Calçada e Pedro Cerqueira, numa viagem de seis meses numa autocaravana pela Europa. A primeira semana foi desenhada sobre rodas entre montanhas, neve e praias onde o mar não se avista de frente.

"Las Médulas. Foi esta a primeira paragem da nossa roadtrip . Tal como grande parte dos locais que apontámos na nossa wishlist, também este foi encontrado numa partilha de algum travel blogger português. Desconhecíamos de todo a existência deste local, mas as imagens deixaram-nos super curiosos.

Partindo do Porto, pela autoestrada, fica a 300 km em direção a Norte. No entanto, como nós percorremos as nacionais, demorou um pouco mais: 360 quilómetros e umas boas quatro horas. Localiza-se na província de León, Espanha, e era uma antiga exploração romana de ouro a céu aberto, hoje Património da Humanidade. É chamado o Grand Canyon europeu, com formações rochosas gigantes e avermelhadas, que se misturam entre o verde dos bosques, cheios de castanheiros e carvalhos.

Estacionámos no parque, tirámos as bicicletas e partimos à aventura. ERRADO! Deveríamos ter estudado no google, pois dali saem vários caminhos que percorrem o parque. Fomos de bicicleta por um trilho muito íngreme; em grande parte do caminho, com as bicicletas à mão. Suámos bastante para chegar ao Miradouro de Orellán. Quando lá chegámos, íamos tendo um ataque, pois descobrimos que existia um caminho de carro para lá chegar, ou seja, tínhamos de virar antes da aldeia de Las Médulas. Por isso, se pretendem lá ir, escrevam logo no GPS: Miradouro de Orellán. Daqui conseguem ter uma vista incrível sobre todo o parque, e, por três euros, podem fazer uma visita às grutas.Mas...e para baixo? Foi mel...Nem era preciso pedalar...Depois da coça que apanhámos, merecíamos!

Tínhamos imensa curiosidade acerca dos Picos da Europa, por isso delineámos um plano com todos os locais que queríamos visitar. Seriam quatro dias pelos principais pontos, uma vez que o Parque Nacional dos Picos da Europa é muito grande, estendendo-se pelas Astúrias, Cantábria e Castela e Leão.

Já imaginávamos o drone a percorrer aqueles lagos, mas...nem tudo correu como planeámos! Então, iniciámos a incursão pelos picos pela famosa povoação de Cangas de Onís, uma cidade pequena, mas com todas as comodidades e serviços, que tem como principal atração a ponte Romana com a famosa Cruz da Vitória, símbolo das Astúrias. O rio que que ali passa é o bonito Rio Sella.

Continuámos a subir em direção a Covadonga, onde se encontra a Basílica, com uma envolvência apaixonante. Ali próximo, existe uma gruta, onde está a Virgem de Covadonga, "La Santina", padroeira das Astúrias, numa pequena capela "escavada" na montanha. Até aqui, tudo corria bem, mas, à medida que íamos subindo em direção aos Lagos Enol e Ercina, a coisa complicou-se. Começou a nevar, e a euforia foi instantânea, mas rapidamente se instalou o pânico.

A quantidade de neve já era considerável, a estrada estava toda branca. Por montanhas e ravinas, a Pingu, a nossa autocaravana, começou a resvalar. Imaginam como ficámos? Parámos numa zona mais ampla para decidirmos o que iríamos fazer; se continuávamos a subir cuidadosamente ou se descíamos. Eis que, quando olhámos para trás, já não se via estrada, mas sim um manto de neve.

Ligámos para os serviços de apoio ao Parque Natural, mas disseram-nos que os limpa-neves apenas iriam servir as povoações e aconselharam-nos a descer com cuidado, sempre em primeira. Meu Deus!, foram os sete quilómetros mais compridos das nossas vidas. No entanto, como bons aventureiros, não queríamos desistir já da visita aos Picos e decidimos fazer um trajeto mais calmo, percorrendo a Estrada N-625, pelo Desfiladeiro de Los Beyos, sempre acompanhados pelo Rio Sella, durante 14 quilómetros: Uma estrada que jamais nos sairá da memória; sem dúvida das mais bonitas que percorremos, envolvida pelas montanhas carregadas de neve.

Passámos por aldeias encantadoras, cascatas, vistas magníficas, que nos vão certamente fazer voltar lá. Os próximos destinos seriam então: Caín, Potes, Fuente Dé, Sotres, Poncebos e Bulnes, mas, mais uma vez, fomos tramados pela neve e tivemos que pernoitar numa aldeia de montanha. E acordámos com tudo branquinho... Posto isto, achámos melhor dar descanso ao coração e partir para o litoral. Não, não desistimos dos Picos da Europa, havemos de voltar!

Chegados ao Litoral Asturiano, a primeira paragem foi o famoso Castro de Las Gaviotas, em Llanes, uma ilhota peculiar em forma de um arco que desafia a lei da gravidade e resiste à força do mar. Logo a seguir, a famosa Praia de Gulpiyuri, conhecida como a mais pequena do mundo. Trata-se de uma pequena praia de mar situada terra adentro, entre verdes zonas agrícolas.

A água do mar chega a esta praia através de conexões subterrâneas, por isso estamos na praia e não vemos a imensidão do mar, apenas uma "baía" de água. Seguindo pela costa, encontrámos a Praia de Cobijeru, do mesmo estilo que a anterior, uma praia separada do mar. Uma particularidade engraçada, já que nos possibilitou estar de frente para o areal, com o mar nas nossas costas. Estranho, não é?

Percorremos estas três praias por um caminho de terra batida junto à costa, entre zonas agrícolas, vacas, cavalos...um passeio muito bonito! Entrámos então na Cantábria, e visitámos Ubiarco com a conhecida Torre de San Telmo e a Capela de Santa Justa. Deixámos a Pingu um pouco afastada e percorremos o caminho a pé, pelo meio de montes e gado, e com uma vista deslumbrante sobre o mar!

A nossa pernoita seria, então, em Liencres, mas não pudemos deixar de subir ao Monte La Picota, para desfrutar das suas incríveis vistas. Liencres é uma cidade muito bonita, com zona de floresta e dunas, e foi o local que escolhemos para passar a noite. De manhã, pegámos nas bicicletas e fomos dar um passeio pela densa mata que nos levou até ao mar. Parecia mesmo uma cena de filme, árvores gigantescas de ambos os lados e nós de bicicleta pelo meio, numa estrada sem fim... Melhor de tudo? Na volta, fomos surpreendidos por um seguidor que nos veio oferecer um "regalo": umas batatas fritas deliciosas típicas da zona.

Ainda tocámos umas guitarradas com os vizinhos da carrinha do lado. A vanlife é isto... Assim se passou a primeira semana desta nossa aventura que ainda agora começou. Quando decides sair da tua zona de conforto e seguir os teus sonhos, arriscas-te a viver momentos incríveis como estes!

Sejam Felizes,

Mochileiros"

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de