Sociedade

Primeiro-ministro quer um novo Pinhal de Leiria que não seja só de pinheiro

António Costa falou aos jornalistas na Marinha Grande, numa intervenção na sessão de apresentação da Estratégia de Recuperação do Pinhal do Rei.

O primeiro-ministro, António Costa, defendeu esta segunda-feira um novo Pinhal de Leiria, constituído por pinheiros e outras árvores, tendo plantado simbolicamente um sobreiro como exemplo da diversidade de espécies arbóreas que o Governo pretende ver no local.

"Não quer dizer que o pinhal não vá ser pinhal. O pinhal vai ser pinhal e só é pinhal se tiver pinheiro. Mas, para nós termos um bom pinhal e um bom pinheiro que seja, também ele, resistente ao fogo, é preciso que este pinhal não seja só de pinheiro e tenha a boa composição e o bom ordenamento que ajude à sua resistência", disse António Costa, na Marinha Grande, numa intervenção na sessão de apresentação da Estratégia de Recuperação do Pinhal do Rei.

Antes da sessão, junto à localidade de Vieira de Leiria, António Costa juntou-se a Tomás, aluno de uma escola local, na plantação de um sobreiro, numa zona onde, nos incêndios de 15 de outubro - que queimaram cerca de 86% do Pinhal de Leiria - se mantiveram "intactos os sobreiros altivos" ali existentes.

"Eram uma faixa de proteção não só à zona habitacional, mas prova da resistência que o sobreiro tem, completamente diferente da que tem o pinheiro bravo ou o eucalipto perante as chamas", frisou o primeiro-ministro.