Uma viagem, um sonho. Os adolescentes que nunca saíram dos Açores

A Câmara Municipal de São Roque do Pico quer dar a conhecer o continente a adolescentes que nunca saíram da ilha.

"Dar a conhecer novas experiências a nível cultural e recreativo, que no arquipélago dos Açores não podem ter". Foi este o objetivo que levou o gabinete de ação social da Câmara Municipal de São Roque do Pico, em cooperação com a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens, a proporcionar a 16 jovens "uma viagem" e "um sonho".

Até 15 de abril, os adolescentes entre os 12 e os 16 anos vão poder visitar Lisboa, uma cidade que "só viram na televisão", como denota a vice-presidente da Câmara Municipal de São Roque do Pico, Paula Ferreira, à conversa com a TSF.

Insularidade: qualidade do que é insular; conjunto dos fenómenos geográficos característicos das ilhas, nomeadamente a falta de comunicação por terra; situação de um país que forma uma ilha ou um arquipélago. Insularidade: sensação de 16 jovens que nunca saíram de um lugar banhado por oceano por todos os lados.

Apesar de fazerem morada num habitat com 22 áreas protegidas, com quatro reservas naturais e seis áreas de paisagem protegidas, os jovens vão poder aventurar-se pelo jardim zoológico de Lisboa para encontrarem espécies desconhecidas. Já no oceanário poderão ver baleias e golfinhos - forasteiros em Lisboa, mas vizinhos no ecossistema da ilha do Pico. "Também temos fatores positivos, como não ficarmos presos no trânsito, não termos barulho, podermos usufruir mais da natureza, do ar livre, do mar, dos golfinhos, das baleias...Os jovens de Lisboa não têm oportunidade de vivenciar isso", frisa Paula Ferreira.

Vivenciar experiências novas, de olhos abertos e no terreno, será possível no Pavilhão do Conhecimento, mas também ao "andar de comboio e de metro, meios de transporte que não têm na ilha", segundo a vice-presidente da câmara de São Roque do Pico. Outros dos pontos de passagem serão o Mosteiro dos Jerónimos, a Torre de Belém, o Padrão dos Descobrimentos, a base aérea de Sintra, o Palácio da Pena, as cavalariças da GNR e o estádio da Luz.

Um projeto para continuar

A oportunidade foi dada a 16 jovens cujas famílias não têm meios para possibilitar uma viagem deste género. "Nós conhecemos muitas das famílias que moram no concelho. Juntámo-nos com a escola e com todos os presidentes de junta de cada freguesia. A partir dessa reunião, ponderámos conjuntamente para fazer a seleção destes jovens", explica Paula Ferreira. Para a Câmara Municipal de São Roque do Pico, este é um projeto para continuar, de forma a desenvolver competências a vários menores da ilha.

Os jovens voaram para Lisboa esta terça-feira num avião da Força Aérea. Também a iniciativa vai continuar a ganhar asas. "Quando regressarmos, eles vão ter uma outra perspetiva do que é a vida no continente e, nessa altura, tirarão as suas conclusões quanto a quererem viver noutro lugar ou preferirem morar na região autónoma. Só saberão responder a essa pergunta depois de conhecerem outros sítios", conclui a responsável pela iniciativa.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de