Enfermeiros marcam nova "greve cirúrgica" nos blocos operatórios

Nova greve pode durar cerca de mês e meio, a contar de 14 de janeiro de 2019, mas pode ser suspensa caso surja acordo entre sindicatos e Governo.

A Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros (ASPE) e o Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal (Sindepor) marcaram uma nova greve nos blocos operatórios com início para 14 de janeiro de 2019 e fim previsto para 28 de fevereiro.

O anúncio acontece num momento em que ainda decorre a "greve cirúrgica" nos blocos operatórios dos Centros Hospitalares Universitários do Porto, S. João, Coimbra, Lisboa Norte e no Centro Hospitalar de Setúbal, um protesto que vai terminar no final do ano.

Ouvido pela TSF, Carlos Ramalho, presidente do Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal (Sindepor), explica que se, até final de fevereiro, não houver acordo entre enfermeiros e Governo, a nova greve vai ocorrer noutros centros hospitalares, para evitar que sejam afetadas as mesmas populações (Centros Hospitalares do Porto, São João, Hospital de Braga, de Gaia-Espinho, Garcia da Horta e Centro Hospitalar da Feira).

O sindicalista lembra, no entanto, que o objetivo é negociar e evitar a paralisação.

Para o próximo dia 3 de janeiro está agendada uma reunião dos sindicatos com o Ministério da Saúde. O sindicalista Carlos Ramalho admite que o Sindepor e a ASPE podem vir a suspender a greve caso o Governo responda de forma positiva às reivindicações sobre as carreiras dos enfermeiros.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de