Governo apresenta dezenas de casos em que enfermeiros violaram serviços mínimos

Secretário de Estado adianta os argumentos apresentados em tribunal para justificar a requisição civil.

O Governo diz que entregou esta terça-feira provas, no Supremo Tribunal Administrativo, de que dezenas de cirurgias que deviam estar incluídas nos serviços mínimos estavam mesmo a ser adiadas por causa da greve dos enfermeiros.

O executivo tinha até à meia-noite para responder à contestação judicial do Sindicato Democrático dos Enfermeiros Portugueses à requisição civil. O Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, Tiago Antunes, diz à TSF que o governo não tinha outra alternativa pois estava mesmo em causa o direito à saúde e à vida dos doentes.

O Governo aguarda agora que o Supremo Tribunal Administrativo confirme rapidamente a legalidade da requisição civil decretada contra a greve dos enfermeiros dos blocos operatórios. O Secretário de Estado pede aos sindicatos que, entretanto, tenham calma e cumpram o parecer independente da Procuradoria-Geral da República, retomando a normalidade nos hospitais e garantindo o direito dos portugueses à saúde.

Leia mais sobre os enfermeiros.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de