Natal pode trazer nova greve de enfermeiros. Governo tem até dia 18 para a travar

Sindicato quer que Governo decida se quer negociar, ou não, um novo acordo coletivo de trabalho.

Os dias 26, 27 e 28 de dezembro podem ser de nova greve no setor da saúde. O Sindicato Independente dos Profissionais de Enfermagem (SIPE) e o Sindicato dos Enfermeiros (SE) anunciaram, esta segunda-feira, uma paralisação para os três dias após o Natal.

Os enfermeiros reclamam a assinatura de um acordo coletivo de trabalho, mas a decisão ainda não é definitiva. Em declarações à TSF, o presidente do SE adiantou que o Governo tem até ao dia 18 de dezembro para travar este protesto.

Nesse mesmo dia, explica José Azevedo, há uma "reunião negocial" de cujo resultado vai depender a manutenção, ou não, da paralisação. "Se encerrarmos as negociações nesse dia - ou em dias próximos - tudo bem, não funcionará a greve. Se por acaso se repetirem cenas anteriores, a greve serve de caução às nossas negociações", alerta.

José Azevedo responsabiliza ainda o Governo por não respeitar os compromissos que anuncia, sublinhando que os enfermeiros estão cansados de ouvir promessas que não são concretizadas. "Andamos há ano e meio a fingir que negociamos um acordo coletivo de trabalho. O Governo ou negoceia ou não negoceia", lembra.

"Se não negoceia, e como são eles os responsáveis pelo bom funcionamento e são o patrão de um serviço que é nacional, é mau. Por isso entregámos um pré-aviso. Não quer dizer que é uma greve, quer dizer que se as negociações seguirem o caminho dos casos anteriores, que anda há meio ano com decreto, acordo, depois volta a decreto... Isto tem de acabar", defendeu o sindicalista.

Notícia atualizada às 10h40 de dia 11 de dezembro de 2018, com a correção de um dos sindicatos que convocou a greve.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de