Liga

Reforços dão a vitória ao Paços frente à União de Leiria

O Paços de Ferreira venceu, este domingo, na recepção da União de Leiria, ainda sem pontuar, por 2-1, num jogo da segunda jornada da Liga, marcado pela amostragem de 16 cartões: 14 amarelos e dois vermelhos.

Melgarejo inaugurou o marcador, aos 69 minutos, e Michel, outro dos reforços da equipa, aos 87, aumentou a vantagem pacense, atenuada já nos "descontos", aos 90+3, com um golo do ex-pacense Maykon.

A União de Leiria teve as oportunidades de golo mais flagrantes, mas os pacenses souberam sofrer e reagiram às adversidades do jogo, em especial quando Ozéia inadvertidamente meteu a mão na cara de um adversário e viu o cartão vermelho, aos 42 minutos, e mais tarde, aos 62, após a lesão de Marcelo, conta a Lusa.

O jogo opôs duas equipas renovadas, ambas derrotadas na ronda inaugural, que coincidiram no sistema táctico e começaram o jogo num ritmo vivo.

A União de Leiria, com quatro alterações no "onze", procurava pressionar no meio campo defensivo contrário e conseguiu bem cedo, logo aos cinco minutos, a primeira oportunidade de golo, mas António Filipe, titular pela primeira vez nos "castores", defendeu o remate de Djaniny, que surgia isolado.

O Paços de Ferreira, sem os castigados Cássio e Cohene, contou no ataque com as acções dos laterais Marcelo e Nuno Santos, em apoio a Michel, o mais rematador da equipa, apesar de Luiz Carlos não ter sido obrigado a aturado trabalho.

Com as duas encaixadas, o ritmo de jogo foi baixando, com os leirienses a acabarem melhor a primeira parte, revelando maior facilidade de penetração nas linhas defensivas contrárias. Num desses lances, aos 37 minutos, os leirienses ganharam um livre à entrada da área, com Elvis a acertar no poste.

O central Eridson entrou na segunda parte, em substituição de Vítor, reequilibrando o eixo defensivo dos locais, mas desguarnecendo o meio campo.

Nesta fase inicial, Djaniny, por duas vezes, falhou o golo dos leirienses, que viriam a ficar reduzidos a 10 elementos por expulsão de Jô, mas seriam os pacenses a chegar ao golo.

Melgarejo concluiu, de cabeça, uma jogada de combinação envolvendo ainda Backar e Luisinho, e inaugurou o marcador, enquanto Michel fez o segundo, após assistência de Eridson, uma vantagem que seria atenuada aos 90+3, num canto direto de Maykon.

Após um jogo muito disputado, mas sem a violência que a amostragem do cartão amarelo e vermelho pelo bracarense Manuel Mota pressupõe, o Paços de Ferreira somou os primeiros três pontos, enquanto a União de Leiria ainda não pontuou.

Num jogo disputado no Estádio da Mata Real, em Paços de Ferreira, arbitrado por Manuel Mota (Braga), perante cerca de 1200 espectadores, as equipas alinharam do seguinte modo:

Paços de Ferreira: António Filipe, Marcelo Tchê (Backar, 68), Ozéia, Filipe Anunciação, Nuno Santos, André Leão, Luiz Carlos, Vítor (Eridson, 46), Manuel José (Melgarejo, 65), Luisinho e Michel.

Suplentes: Luís Barros, Eridson, Backar, Josué, Melgarejo, Michel Lugo e William.

União de Leiria: Luiz Carlos, Ivo Pinto, Diego Gaúcho, Edson, Maykon, Manuel Curto (Luís Leal, 75), André Almeida, Tiago Terroso (Patrick, 32), Djaniny, Jô e Elvis (Marcos Paulo, 59).

Suplentes: Gottardi, Patrick, Marco Soares, Marcos Paulo, Luís Leal, Jorge Chula e Bruno Moraes.

Acção disciplinar: cartão amarelo para André Almeida (07), Manuel Curto (16), Filipe Anunciação (31), Ozéia (36), Jô (43 e 52), Marcelo Tchê (46), Djaniny (50), André Leão (61), Nuno Santos (77), Ivo Pinto (84), Backar (85), Michel (86) e Patrick (87). Cartão vermelho directo para Ozéia (42) e por acumulação de amarelos para Jô (43 e 52).