Subiu para 85 o número de vítimas mortais dos incêndios na Grécia

Foram encontrados corpos em carros carbonizados e no mar, para onde muitos tentaram fugir das chamas. Não se sabe ao certo o número de desaparecidos.

(Notícia em atualização desde as 00h34 do dia 24-07-2018)

O número de vítimas mortais na sequências dos incêndios florestais que devastaram várias zonas na Grécia subiu esta quinta-feira para 85. Segundo o jornal grego Ekathimerini , um idoso de 74 anos acabou por morrer num hospital devido aos feridos e as equipas de resgate encontraram mais dois corpos nos escombros.

As autoridades estimam que haja dezenas de desaparecidos, sendo que os trabalhos dos elementos dos bombeiros e proteção civil prossegue na tentiva de encontar sobreviventes.

O prefeito da cidade portuária de Rafina, Evánguelos Burnús, estimou, em declarações à televisão Skai, que o número de vítimas poderá ultrapassar uma centena.

Só em Mati, localidade que desapareceu completamente do mapa , foram encontrados 26 corpos em carros carbonizados.Um vídeo divulgado por militares gregos mostra esta realidade . Um cenário de destruição visto a partir do céu.

Também foram encontrados quatro corpos no mar, uma vez que as chamas levaram a que muitos turistas e cidadãos gregos fugissem do fogo para as praias a leste de Atenas.

Os serviços de emergência continuam a receber telefonemas a alertar para o desaparecimento de pessoas, pelo que se teme que o número de mortes seja ainda maior. "O número de mortos vai continuar a subir", diz Evangelos Bournous, mayor de Rafina.

Imagens do satélite europeu Sentinel-2 mostram uma intensa coluna de fumo na região de Kineta. O incêndio está ativo há mais de 24 horas.

Bruxelas promete ajudar

Centenas de bombeiros continuam a tentar controlar os grandes incêndios que assolam a Grécia desde o início da tarde de segunda-feira, mas os trabalhos estão a ser dificultados por ventos fortes.

O povo grego está a viver "uma tragédia indescritível", disse o primeiro-ministro Alexis Tsipras. Foram declarados três dias de luto nacional.

A Grécia pediu apoio à União Europeia para o combate ao fogo e o presidente da Comissão Europeia já garantiu que Bruxelas "não vai poupar esforços para ajudar a Grécia e o povo grego" durante o tempo que for preciso.

Vários países já anunciaram que vão enviar ajuda, incluindo Portugal, que prometeu disponibilizar 50 elementos da Força Especial de Bombeiros.

O primeiro-ministro grego antecipou o seu regresso para Atenas , depois de uma viagem à Bósnia-Herzegovina, para acompanhar a situação a partir do Centro de Coordenação Unificado.

Já o ministro da Administração Interna (Ordem Pública), Nikos Toskas, pediu cautela aos cidadãos e sugeriu que os incêndios podem ter sido provocados.

António Costa e Marcelo Rebelo de Sousa já deixaram mensagens de solidariedade ao povo grego.

Não há, até ao momento, registo de portugueses entre as vítimas ou desaparecidos nos incêndios, confirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros .

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A SITUAÇÃO NA GRÉCIA

*com Inês André de Figueiredo, Carolina Rico, Rita Carvalho Pereira e Guilherme de Sousa

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de