Alemanha prepara manutenção de centrais a carvão para substituir gás russo

O país mantém "o objetivo de uma saída do carbono, idealmente até 2030", a meta fixada pelo Governo aquando da sua entrada em funções.

O Governo alemão anunciou esta quinta-feira a possibilidade de "suspender" o encerramento de algumas centrais a carvão para substituir o gás russo, mas mantém o objetivo de deixar esta energia fóssil em 2030.

"O encerramento de centrais a carvão pode ser suspenso até nova ordem, após exame da Agência Federal de Recursos", indica-se num acordo assinado entre os partidos da coligação de Olaf Scholz, divulgado esta quinta-feira.

"Mantemos o objetivo de uma saída do carbono, idealmente até 2030", a meta fixada pelo Governo aquando da sua entrada em funções, no final de 2021.

Desde a invasão da Ucrânia pela Rússia, os preços do gás atingiram recordes no continente europeu.

A Alemanha é particularmente afetada, devido à dependência dos combustíveis russos, nomeadamente do gás, que representa cerca de 55% das importações.

A curto prazo, o país tenciona "reduzir o consumo de gás na produção de eletricidade".

Isto passará, segundo o acordo, pela manutenção das centrais a carvão para contrariar qualquer risco de escassez.

O abandono do carvão em 2030, e não em 2038 como previsto pelo anterior Governo de Angela Merkel, é uma das medidas da nova coligação, em que os Verdes têm lugar de destaque.

A Alemanha continua fortemente dependente do carvão após ter decidido virar as costas à energia nuclear, na sequência do acidente, em 2011, na central japonesa de Fukushima.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de