Boeing 777 obrigado a aterragem de emergência em Moscovo devido a problemas no motor

Um dos sensores do motor não estava a funcionar corretamente.

Um avião Boeing 777 foi, esta sexta-feira, obrigado a fazer uma aterragem de emergência em Moscovo, na Rússia, devido a problemas no motor.

O voo de carga número 4520, que partiu de Hong Kong com destino a Madrid, interrompeu a viagem por precaução depois de se descobrir que um dos sensores controlo do motor estava a funcionar incorretamente, revelou a companhia aérea Rossiya à AFP.

Esta situação acontece numa altura em que o regulador norte-americano para a aviação (FAA) ordenou inspeções urgentes aos aviões Boeing 777, depois de um motor de um destes aparelhos se ter incendiado em pleno voo, no Colorado, Estados Unidos.

No passado sábado, um Boeing 777-220 da companhia norte-americana United Airlines, que descolou de Denver, Colorado, com destino a Honolulu, no Hawai, com 231 passageiros e 10 membros da tripulação a bordo, foi forçado a regressar ao aeroporto de onde partiu, depois de o motor direito se incendiar em pleno voo.

O avião aterrou em segurança no aeroporto de Denver e nenhum dos ocupantes ficou ferido.

Imagens filmadas por um passageiro do voo UA328 mostram o motor direito em chamas, com a fuselagem do motor destruída. Partes do motor caíram numa área residencial em Denver,sem provocar feridos nem grandes danos materiais.

Já na segunda-feira, o fabricante norte-americano Boeing recomendou a imobilização de 128 aviões do modelo 777 que se encontram em serviço (69 usados pela United Airlines, Japan Airlines, All Nippon Airways, Asiana e Korean Air) ou em reserva (59).

Segundo órgãos de comunicação norte-americanos, as únicas companhias aéreas que utilizam este modelo estão situadas nos Estados Unidos, no Japão e na Coreia do Sul.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de