Cáritas estende programa "Inverter a Curva da Pobreza" aos refugiados da Ucrânia

Extensão do programa é uma forma de compensar o "défice" de apoios públicos e não de os substituir, garante Rita Valadas.

A presidente da Cáritas Portuguesa, Rita Valadas, espera que o Governo esteja a preparar medidas suplementares de apoio à população mais carenciada para combater o impacto económico da guerra na Ucrânia, num momento em que a organização estendeu o programa "Inverter a Curva da Pobreza" aos refugiados.

No Fórum TSF desta terça-feira, Rita Valadas revelou acreditar que o agravamento da crise vai criar uma nova geração de pobreza em Portugal, pelo que é preciso "encontrar medidas que almofadem estas situações". A líder da Cáritas diz esperar pelas medidas que o Estado venha a tomar e, embora ainda não se pronuncie sobre as mesmas, sublinha que "são precisas".

A extensão do programa da Cáritas aos refugiados da Ucrânia, garante Rita Valadas, não tem como objetivo substituir-se aos apoios do Estado, mas sim reagir a um "défice" de apoios públicos.

"A rede da Cáritas em Portugal já está muito familiarizada com o programa e é muito ágil" e vai permitir chegar às famílias mais vulneráveis.

*com Manuel Acácio

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de