Fome atinge níveis "dramáticos" no Afeganistão. Crianças de "dois anos e meio" parecem ter sete meses

A porta-voz do Programa Alimentar Mundial no Afeganistão, Shelley Thakral, conta que, desde agosto, milhares de pessoas perderam os empregos e deixaram de ter uma forma de sustento. O país precisa de 220 milhões de dólares por mês para que ninguém morra de fome.

O Programa Alimentar Mundial lança um apelo para que a comunidade internacional não se esqueça do povo do Afeganistão. A porta-voz do PAM sublinha que a situação se agravou com a chegada dos taliban ao poder, estando já a atingir dimensões "dramáticas".

A pobreza estende-se agora às zonas urbanas. Desde agosto, com a retirada das tropas internacionais e a chegada dos taliban ao poder, milhares de pessoas perderam os empregos, deixaram mesmo de ter uma forma de sustento.

A porta-voz do Programa Alimentar Mundial no Afeganistão, Shelley Thakral, conta que há pessoas à beira do desespero. "A situação já é dramática no Afeganistão. Há muita gente a passar fome. Estamos a assistir a um aumento dos casos de subnutrição. Em muitas das clínicas que visitamos, vemos mães com filhos muito pequenos ao colo. Quando olhamos para eles, parece que têm sete ou oito meses, mas, na verdade, têm dois anos e meio."

Shelley Thakral esteve esta manhã, em Konduz e Mazar-i-Sharif, no Norte do Afeganistão. O PAM não tem mãos a medir para tantos pedidos de ajuda, salienta a porta-voz: "Vinte e três milhões de pessoas enfrentam a fome. Já alimentámos mais de 15 milhões de pessoas, em 2021. Precisamos de aumentar para os 23 milhões no próximo ano. Para isso, precisamos de dinheiro, de recursos e da generosidade de todos os dadores e de todos os que estão sempre a perguntar o que podem fazer, como podem ajudar."

A representante do Programa Alimentar Mundial no Afeganistão deixa um pedido à comunidade internacional. "O que gostava de dizer à comunidade internacional é que não se esqueça do povo do Afeganistão. Algumas pessoas não sabem de onde poderá vir a próxima refeição. É uma corrida contra o tempo, à medida que o inverno e o tempo frio começam. Vamos precisar de alimentar mais pessoas em 2022, não se esqueçam das mulheres e crianças aqui, que precisam mesmo do vosso apoio."

O Afeganistão precisa de 220 milhões de dólares por mês para que ninguém morra de fome.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de