Líder da Frente Polisário abandonou Espanha durante a madrugada

A imprensa cita fontes diplomática e do autoproclamado governo provisório do Saara Ocidental, na Argélia.

O líder do movimento de independência do Saara Ocidental, Brahim Ghali, que está no centro de uma crise diplomática entre Madrid e Rabat abandonou Espanha de avião durante a última madrugada, segundo a imprensa espanhola.

A imprensa cita fontes diplomática e do autoproclamado governo provisório do Saara Ocidental, na Argélia.

O chefe da Frente Polisário, movimento que luta pela independência do Saara Ocidental, um território anexado por Marrocos, teve na terça-feira alta de um hospital no norte de Espanha após mais de seis semanas de tratamentos contra a covid-19.

A presença de Ghali em Espanha enfureceu Marrocos e desencadeou uma crise diplomática entre os dois países e, tudo indica, levou Rabat a provocar à chegada de milhares de migrantes ilegais - muitos deles crianças não acompanhadas -- ao enclave espanhol no norte de África de Ceuta, que faz fronteira com Marrocos.

A saída de Espanha aconteceu depois de, também na terça-feira, a justiça espanhola se ter recusado, mais uma vez, a enviar o líder da Frente Polisário para a prisão como medida cautelar ou a retirar o seu passaporte, considerando que não há "risco de qualquer fuga" às suas responsabilidades ou "mesmo elementos circunstanciais" para acreditar que seja "responsável por qualquer crime".

O presidente da autoproclamada República Árabe Saarauí Democrática prestou declarações por videoconferência a partir de um hospital em Logrono (região de La Rioja) no âmbito de dois processos por alegados crimes contra a humanidade, genocídio, tortura e outros.

Brahim Ghali negou ter cometido esses crimes, associando as acusações contra ele a motivos "absolutamente políticos" para "tentar minar a credibilidade do povo saarauí e a sua luta para conseguir a autodeterminação ", afirmou o seu advogado, Manuel Ollé.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de