Madrid, cidade blindada. 10 mil agentes, ruas cortadas e vigilância aérea para proteger a Cimeira da NATO

Circular dentro da cidade vai ser muito difícil. As autoridades aconselham os cidadãos a utilizar os transportes públicos, a evitar o centro da cidade e a teletrabalhar, sempre que possível.

Chama-se operação Eirene, deusa grega da paz, e é o nome do dispositivo de segurança montado para a proteção da Cimeira da NATO em Madrid. Mais de 10.000 agentes - 6550 da polícia nacional, 2400 da Guardia Civil e 1200 polícias municipais - estão destacados para a proteção das 40 delegações lideradas por 40 Chefes de Estado que se reúnem esta quarta e quinta-feira na capital espanhola.

Aos agentes policiais somam-se as escoltas de cada comitiva, a segurança da Casa Real, e os militares da Força Aérea espanhola, responsáveis pelo controlo do espaço aéreo estes dias que, apesar de não estar fechado, estará protegido com um esquema de vigilância especial que vai impedir também a presença de drones.

À frente da operação está o comissário José Carlos Castro Estevez que já liderou as operações de segurança dos Jogos Olímpicos de Barcelona em 92 e do casamento real entre Felipe VI e Letizia.

Madrid é hoje uma cidade blindada onde a circulação automóvel é muito difícil. Três das artérias principais da cidade - o Passeio da Castelhana, o Passeio do Prado e Recoletos - estão cortadas ao trânsito, assim como duas vias de cintura externa, a M-11 e a M-40. As autoridades recomendam aos cidadãos que utilizem os transportes públicos, que evitem o centro da cidade e, sempre que possível, que teletrabalhem.

O metro vai reforçar o serviço das linhas 1, 5, 6 e 10 mas a paragem mais próxima do local onde decorre a Cimeira da NATO, no Ifema, vai estar fechada, assim como as imediações do recinto, a que só poderão aceder as pessoas devidamente autorizadas..

Chegar ali só é possível através de um autocarro que parte do centro de acreditações para a imprensa. Mais de 2.000 jornalistas estão acreditados para o evento e dentro do transporte a segurança também é apertada. À entrada, todos os jornalistas têm de apresentar a acreditação que é verificada por um agente de autoridade. Antes do autocarro arrancar, dois cães-polícia entram e passam revista ao veículo e só então se inicia a viagem com dois agentes da polícia nacional sempre a bordo.

Joe Biden chega esta terça-feira

Esta terça-feira começam a chegar as primeiras delegações dos diferentes países. A maioria aterrará na base aérea de Torrejón de Ardoz, entre as 15h00 e as 20h00 horas, o que obrigou a estabelecer também um protocolo especial de segurança sem precedentes nesta zona.

Um dos primeiros a chegar é o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que aterra em Torrejón perto das 15h30 horas, onde será recebido pelo Rey Felipe VI, antes de se reunir com o primeiro ministro espanhol, Pedro Sánchez, durante a tarde. A comitiva dos Estados Unidos é a maior de todas. A delegação conta com oito aviões que chegam hoje, além dos que já aterraram em Madrid durante a semana com material e pessoal de controlo de segurança. Por exemplo, já está na capital espanhola a limusina blindada que transportará Joe Biden durante estes dias e um helicóptero da sua Força Aérea para eventuais emergências.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de