Explosões no aeroporto de Cabul fazem pelo menos 60 mortos e 140 feridos

O Ministério da Defesa português diz à TSF que os quatro militares portugueses destacados na capital afegã estão bem. Segundo a BBC, morreram pelo menos 60 pessoas e outras 140 ficaram feridas. Já esta noite há relatos de uma nova explosão.

Pelo menos 60 mortos, incluindo crianças, e 140 feridos. O Pentágono confirmou na tarde desta quinta-feira que ocorreu uma explosão perto do aeroporto de Cabul, no Afeganistão, confirmando depois uma segunda explosão. Mais tarde, a Turquia e a televisão norte-americana Fox News avançaram que tinha ocorrido uma segunda explosão nas imediações do aeroporto Hamid Karzai. À TSF, o Ministério da Defesa português afirma que os quatro militares portugueses destacados no Afeganistão estão bem.

Já esta quinta-feira à noite, os correspondentes da AFP no local ouviram uma terceira explosão em Cabul. O porta-voz dos taliban, Zabihullah Mujahadid, recorreu ao Twitter para explicar que se tratou de uma explosão controlada pelas forças norte-americanas para destruir equipamentos no aeroporto e que os moradores da capital não precisam de se preocupar.

Ainda esta noite, o ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, confirmou à SIC Notícias que os quatro militares portugueses que foram para o aeroporto de Cabul, no Afeganistão, já estão a regressar a território nacional depois de terem ajudado a cumprir a missão de resgatar quase quatro dezenas de afegãos que vêm para Portugal como refugiados.

"Dentro de algumas horas, por razões operacionais prefiro não aprofundar. A retração deles já está assegurada e estão atualmente empenhados em colocar nos aviões os 38 afegãos que estão identificados e validados por nós e que virão para Portugal. Temos já a confirmação de que devem estar a embarcar a esta hora mesmo", revelou João Gomes Cravinho.

O porta-voz do Pentágono, John Kirby, confirma pelo menos duas explosões, depois de num primeiro momento falar só de uma. A primeira foi junto a uma das entradas principais do aeroporto e a outra, não muito longe, no Baron Hotel, onde costumam ficar jornalistas e tropas britânicas.

Nos últimos dias - desde o regresso dos taliban ao poder -, aglomeram-se milhares de afegãos e de estrangeiros junto ao aeroporto, para tentarem sair do Afeganistão antes do final da atual ponte aérea.

John Kirby diz ainda que há vários norte-americanos e diversos civis afegãos entre as vítimas e admite que os ataques foram levados a cabo pelo daesh. Numa conferência de imprensa mais tarde, o Pentágono avançou que há 12 militares norte-americanos entre os mortos e 15 feridos.

A televisão norte-americana CNN avançou inicialmente que uma das explosões terá sido um ataque suicida.

Já a televisão Al Jazeera, com sede no Qatar, informara que entre as vítimas estão cidadãos estrangeiros, sem revelar se são civis ou militares.

O Presidente dos EUA, Joe Biden, está a ser informado sobre a situação, segundo uma fonte da Casa Branca.

Os Estados Unidos, o Reino Unido e a Austrália já tinham apelado aos cidadãos para abandonarem a zona do aeroporto de Cabul devido a "ameaças terroristas".

Notícia atualizada às 22h39

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de