Tancos. Audições arrancam a 9 janeiro e militares são os primeiros a ser ouvidos

Deputados da comissão parlamentar de inquérito aprovaram calendário de audições e visitas ao terreno. Documentação começa a chegar "no final da próxima semana".

A comissão parlamentar de inquérito ao furto de material de militar de Tancos vai dar início às audições no próximo dia 9 de janeiro, começando por ouvir as personalidades ligadas à estrutura militar, disse, no arranque da reunião desta quarta-feira, o presidente da comissão de inquérito, Filipe Neto Brandão.

O calendário foi aprovado durante a reunião em que foram ainda agendadas para o dia 8 de janeiro as visitas dos deputados a Tancos e ao Campo Militar de Santa Margarida, o local para onde foi transferida parte do material militar após o furto, em junho de 2017.

"Perante o número considerável de elementos que temos para ouvir, foi decidido fazer um primeiro grupo restringido à estrutura militar", disse o presidente da comissão e deputado do PS, que adiantou: "Dia 8 de janeiro será o dia da deslocação e esperamos que o dia 9 de janeiro seja o primeiro dia das audições".

Até ao momento, a comissão parlamentar de inquérito ao furto de material militar de Tancos já aprovou audições de 63 personalidades e entidades, que serão ouvidas até maio do próximo ano, Entre estas figuras que prestam depoimento está o primeiro-ministro, António Costa, que o fará por escrito.

Filipe Neto Brandão acrescentou ainda que os documentos requeridos por parte dos grupos parlamentares devem começar a chegar à comissão de inquérito "no final da próxima semana".

No passado dia 5 de dezembro, os deputados da comissão de inquérito aprovaram todos os requerimentos apresentados pelos partidos. Apenas um não foi aprovado por unanimidade, no caso, o que continha a lista de personalidades apresentadas pelo PS, porque PSD e CDS-PP pretendiam que houvesse ainda a possibilidade de António Costa fazer o depoimento de forma presencial.

Esta quarta-feira, ficou acertado que os deputados da comissão vão reunir-se duas vezes por semana. Prevê-se que os trabalhos da comissão venham a funcionar por 180 dias, podendo, no entanto, ser prorrogada por mais 90 dias.

A comissão de inquérito ao furto de material de militar de Tancos vai reunir-se duas vezes por semana e começa as audições às 63 personalidades em janeiro, segundo o calendário acordado e divulgado esta sexta-feira.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de