Morreu o escultor João Cutileiro

João Cutileiro, um dos maiores escultores contemporâneos portugueses, é autor de obras espalhadas por todo o país.

Morreu, aos 83 anos, o escultor João Cutileiro, confirmou a TSF junto de fonte próxima da família.

João Cutileiro é autor do Monumento ao 25 de Abril instalado no Parque Eduardo VII, em Lisboa, entre muitas outras obras, onde se destacam as esculturas de corrente figurativa em mármore. O "intimismo", o "erotismo" e o "amor" são temas recorrentes.

O seu trabalho mais célebre, e polémico, - D. Sebastião, em Lagos - desafiou o Estado Novo em 1973.

O escultor nasceu em Lisboa em 1937, mas vivia e trabalhava em Évora desde 1985, onde está exposta parte significativa da sua obra.

Em declarações em direto na TSF, a diretora Regional de Cultura do Alentejo, Ana Paula Amendoeira, destaca "um artista maior da arte portuguesa", e lembra que João Cutileiro doou a sua obra, o seu ateliê e o seu espólio ao Estado português.

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, fala de "mais um dia triste para a cultura em Portugal". João Cutileiro foi "um escultor extraordinário com uma obra incrível", que teve a generosidade - a "clarividência", com dizia o próprio, de doar o seu espólio ao Estado, mais de 900 peças destaca.

A primeira exposição com estas obras será em maio, em Foz Côa, e também desejo do escultor de transformar o seu ateliê numa casa-museu onde as novas gerações possam aprender a sua arte será cumprido, assegura a ministra da Cultura.

O escultor e pintor José de Guimarães descreve João Cutileiro como "um escultor completo", um mestre para inúmeros escultores contemporâneos portugueses.

O curador e ensaísta Delfim Sardo concorda: João Cutileiro influenciou toda uma geração de escultores, como José Pedro Croft e Rui Sanches.

João Soares era presidente da Câmara Municipal de Lisboa quando João Cutileiro criou o Monumento ao 25 de Abril no Parque Eduardo VII, em Lisboa. Admite que a obra gerou controvérsia, mas garante que João Cutileiro lidava bem com as críticas.

Em declarações à TSF, João Soares destaca ainda a inteligência e sentido de humor de João Cutileiro, assim como a sua vastíssima obra, quer na escultura quer no desenho, marcada por um "erotismo deslumbrante".

Cutileiro iniciou-se nas artes em ateliês de vários mestres e depois de uma breve passagem pela Escola de Belas Artes de Lisboa, rumou à Slade School of Art, em Londres, por influência de Paula Rego, onde se diplomou.

No início da década de 1960, regressou a Portugal e revolucionou a estética da estatuária nacional, com projetos marcados pelo experimentalismo.

Doutor Honoris Causa pela Universidade de Évora e pela Universidade Nova de Lisboa, o escultor foi condecorado com a Ordem de Sant'Iago da Espada, Grau de Oficial, em agosto de 1983. Em 2018, recebeu a medalha de mérito cultural, atribuída pelo Governo,

João Cutileiro era irmão do diplomata, antropólogo e escritor José Cutileiro, que morreu em maio de 2020.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de