Caso BPN. Tribunal da Relação mantém pena de seis anos de prisão para Arlindo de Carvalho

Antigo ministro da Saúde perde recurso no Tribunal da Relação.

O Tribunal da Relação decidiu manter a pena de seis anos de prisão para o ex-ministro da Saúde, Arlindo de Carvalho, no processo ligado caso BPN, avança a SIC Notícias. O antigo governante, que foi considerado culpado pelos crimes de fraude e burla qualificada, perde, assim, o recurso.

O Ministério Público tinha pedido a condenação a prisão efetiva para todos os arguidos deste caso, sustentando que Arlindo de Carvalho e José Neto terão recebido indevidamente cerca de 80 milhões de euros do BPN e do Banco Insular de Cabo Verde, na qualidade de homens de confiança em negócios dirigidos à distância por Oliveira Costa - e outros dirigentes do BPN/Sociedade Lusa de Negócios (SLN).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de