Fábrica da Peugeot e da Citroën de Mangualde em condições de retomar atividade

O calendário para retomar a atividade, que se fará no contexto do diálogo social com a representação dos trabalhadores, ainda não está definido.

O Groupe PSA anunciou esta sexta-feira que o seu Centro de Produção de Mangualde está "pronto para retomar a atividade", graças à implementação de medidas sanitárias reforçadas devido à Covid-19, que foram partilhadas com a Comissão de Trabalhadores.

"O protocolo de medidas sanitárias reforçadas do Groupe PSA está totalmente implementado no Centro de Produção de Mangualde e a sua implementação foi auditada", refere o grupo francês, em comunicado.

No entanto, "o calendário para retomar a atividade, que se fará no contexto do diálogo social com a representação dos trabalhadores, ainda não está definido e terá em conta a capacidade de funcionamento permitida pelas autoridades para as empresas exercerem a atividade industrial e comercial", acrescenta.

O protocolo engloba mais de cem medidas que abrangem todas as atividades do grupo ao nível industrial, administrativo e de investigação e desenvolvimento.

Segundo o Groupe PSA, este protocolo "coloca a unidade de Mangualde num nível muito elevado de proteção dos colaboradores no seu local de trabalho, em conformidade com as normas estabelecidas".

A administração e a Comissão de Trabalhadores "validaram que todas as medidas sanitárias internas previstas no protocolo estão já aplicadas", acrescenta.

O grupo francês refere que a aplicação deste protocolo permitirá "retomar a atividade de forma gradual e segura", contribuindo assim "para assegurar a continuidade do Centro de Produção" de Mangualde.

"O relançamento da atividade será definido no contexto de diálogo social com a representação dos trabalhadores, tendo em conta a evolução da situação comercial", sublinha.

O Groupe PSA garante que, desde o início da crise sanitária originada pela Covid-19, a sua prioridade "tem sido proteger os seus colaboradores e preservar a sustentabilidade da empresa".

A unidade de Mangualde suspendeu a atividade a 18 de março, na sequência da decisão de encerrar todas as fábricas do grupo na Europa face ao surto da Covid-19.

"Durante o período em que suspendeu a atividade, o Centro de Produção de Mangualde colocou em prática este protocolo, que foi previamente partilhado com as autoridades regionais de Saúde e a Inspeção do Trabalho e enriquecido com a contribuição dos elementos da Comissão de Trabalhadores, e submetido a uma auditoria para avaliar a sua perfeita implementação", explica.

O protocolo desenvolvido para as instalações industriais prevê, por exemplo, o controlo de temperatura em complemento da automonitorização de sintomas, o aprovisionamento de equipamentos de proteção individual e kits de proteção e higiene sanitária para colaboradores, motoristas e visitantes essenciais.

Outras medidas previstas são a redefinição de fluxos internos, marcações no solo para manutenção de distâncias de segurança, o reforço dos perímetros de higiene, formação e conselhos essenciais de higiene e saúde, a constituição de uma sala de isolamento e a formação de pilotos para acompanhamento do protocolo de segurança e de saúde em cada área de produção e gestão da fábrica.

A nível global, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 137 mil mortos e infetou mais de dois milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 450 mil doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 629 pessoas das 18.841 registadas como infetadas.

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de