Pilotos aprovam acordo de emergência na TAP

Votação mostra divisão na classe, com 51% dos votos a favor e 47% contra. Acordo entre o SPAC e a TAP prevê reduções salariais de entre 50% e 35%, entre 2021 e 2024.

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) aprovou hoje o acordo de emergência na TAP, sabe a TSF.

Fonte próxima do processo adianta à TSF que o acordo foi aprovado com 617 votos a favor (515), 576 contra (47%), 18 abstenções e 1 voto em branco, mostrando a divisão na classe que a TSF tem vindo a noticiar.

O acordo entre o SPAC e a TAP prevê reduções salariais de entre 50% e 35%, entre 2021 e 2024,. Os restantes trabalhadores da sofrem um corte de 25%.

O acordo de emergência abrange 1.252 pilotos e prevê a redução salarial de 50% em 2021 , 45% em 2022, 40% em 2023 e 35% em 2024 à parte do salário que excede 1.330 euros.

O SPAC é um dos 14 sindicatos que representam os trabalhadores da TAP, e um dos únicos dois que ainda não tinham ratificado o respetivo acordo. O outro é o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, que representa os tripulantes.

A TSF contactou o SPAC, a TAP e o governo, mas todos recusaram fazer comentários.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de