"Sem sentido". Costa e deputados contrariam Cabrita sobre autárquicas em dois dias

Na reunião da Comissão Nacional do PS, António Costa rejeitou a hipótese, ontem, admitida pelo ministro da Administração Interna de repartir, por dias, o voto autárquico.

O que ontem era uma possibilidade, hoje foi cortado pela raiz com António Costa a considerar "perigosa" e "sem sentido" a ideia de que as autárquicas possam realizar-se em dois fins de semana, como admitiu, em entrevista à Lusa, o ministro Eduardo Cabrita.

António Costa deixou a resposta para a Comissão Nacional, já à porta fechada, mas a TSF sabe que a possibilidade levantada pelo ministro da Administração Interna, não só desagrada ao primeiro-ministro, como ao grupo parlamentar socialista, que também foi surpreendido com a posição ontem assumida por Eduardo Cabrita.

Os dois exemplos recentes das regionais nos Açores e das eleições presidenciais provam na leitura da direção do PS que é possível realizar as autárquicas em condições de segurança e afastar as eventuais dificuldades que poderia implicar, por exemplo, a guarda em segurança dos votos, numa eleição que envolve mais de três mil de juntas de freguesia, em 308 concelhos.

Ontem, em entrevista à agência Lusa, o ministro da Administração Interna admitiu a possibilidade das eleições autárquicas, previstas para setembro ou outubro, se realizarem em dois fins de semana devido à pandemia de Covid-19, manifestando a "abertura para ponderar modelos", sendo "a distribuição do voto entre dois fins de semana perfeitamente possível".

O ministro sublinhou que "tudo depende da Assembleia da República" e justificou ainda que "não é possível o voto em mobilidade porque isso implicaria ter tantos boletins de voto disponíveis quantas as três mil freguesias que existem no país e, portanto, seria uma operação logística impossível".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de